Metrópoles recebe Prêmio SIP em Miami

A matéria O Levante dos Ribeirinhos ganhou a categoria Meio Ambiente do Premio a la Excelencia Periodística 2019

Reprodução/YouTubeReprodução/YouTube

atualizado 08/10/2019 14:35

O Metrópoles recebeu em Miami, nos Estado Unidos, o Premio a la Excelencia Periodística 2019, concedido por La Sociedad Interamericana de Prensa (SIP). A matéria O Levante dos Ribeirinhos, publicada pelo portal, levou a categoria Meio Ambiente.

A festa aconteceu na última sexta-feira (04/10/2019), com a presença de jornalistas de diversos países americanos. O concurso internacional reconheceu trabalhos: do The Associated Press, Estados Unidos; La Nación, Argentina; El Mercurio, Chile; El Tiempo, Colômbia; El Imparcial, México; La Prensa, Nicarágua; e Prodavinci, Venezuela.

O jornalista Eumano Silva representou o Metrópoles durante o encontro. Além de receber os diplomas da equipe vencedora no palco, o repórter especial também participou do painel “Mudança climática como novo gênero jornalístico”. O evento aconteceu durante a 75ª Assembleia da SIP. O debate foi seguido de um jantar no Hotel Biltmore, localizado na região de Coral Gables.

Durante a premiação, a repórter colombina Jineth Bedoya Lima recebeu o Grande Prêmio da Liberdade de Imprensa. Ela defendeu em seu discurso os jornalistas assassinados na América Latina durante o último ano, e ressaltou como os comunicadores dessa região trabalham em um clima de insegurança.

Este ano, a organização recebeu cerca de 1.200 inscrições de redações produzidas em toda a América. “Nosso júri grande dificuldade de escolher o melhor dos melhores”, disse o chefe da comissão do prêmio, Marcel Granier, presidente da RCTV da Venezuela.

Além do Metrópoles, três meios de comunicação brasileiros foram premiados nesta edição. A TV Record venceu a categoria Direitos Humanos, a Revista MovinUp ganhou na seção Opinião, e o site Aos Fatos Brasil recebeu menção honrosa na categoria Cobertura Noticiosa para Dispositivo Móvel.

Grandes nomes do jornalismo brasileiro já venceram o Premio a la Excelencia Periodística da SIP. A jornalista Eliane Brum, por exemplo, levou em 2016 a categoria Opinião. No ano seguinte, foi a vez de o jornal O Estado de S.Paulo ganhar, com o especial multimídia Clima em Transformação. Por fim, na última edição, o G1 conquistou a menção honrosa pelo trabalho coletivo Monitor da Violência.

A Sociedad Interamericana de Prensa é uma entidade sem fins lucrativos dedicada à defesa e à promoção da liberdade de imprensa nas Américas. Mais de 1.300 publicações do hemisfério ocidental são associadas ao grupo, cuja sede fica em Miami.

Matéria do Metrópoles


Apurada por Eumano Silva e Gilberto Alves, a reportagem O Levante dos Ribeirinhos foi descrita pelo júri da SIP como “impactante”. Além disso, a comissão destacou as fotografias, as imagens aéreas e as entrevistas em vídeo captadas e editadas por Gabriel Pereira e Michael Melo.

Em duas viagens, realizadas em janeiro e abril de 2018, a equipe do Metrópoles percorreu durante 12 dias as comunidades tradicionais do Vale do Arrojado. Essa população, acostumada à fartura de alimentos nas roças e nos quintais, vive hoje assombrada com a presença de inimigos armados e a possibilidade de ficar sem água.

O especial contou ainda com ilustrações e infografias criadas por Stela Woo, Cícero Lopes e Gui Prímola. O material ganhou vida a partir da programação de Allan Rabelo, Saulo Marques e Vinícius Paixão. Todo o trabalho recebeu a edição de Lilian Tahan, Priscilla Borges, Maria Eugênia e Olívia Meireles. E, por fim, o texto foi revisado por Denise Costa.

A reportagem do Metrópoles conta a história dos confrontos entre comunidades ribeirinhas e empresários do agronegócio no oeste da Bahia. Instaladas na região desde o século 19, famílias de posseiros apontam a irrigação das grandes plantações, iniciada na década de 1980, como a principal causa da redução na vazão de rios e da morte de córregos e nascentes.

A escalada de radicalismo no município de Correntina mudou de patamar em 2 de novembro de 2017. Armados com picaretas, paus e facões, homens e mulheres destruíram o sistema de pivôs e captação de água, queimaram o maquinário e puseram abaixo uma subestação de energia elétrica. A soma dos prejuízos chegou a R$ 50 milhões, segundo os proprietários.

O Levante dos Ribeirinhos já havia sido finalista do 7° Prêmio República de Valorização, do Ministério Público Federal, e dos Prêmios de Comunicação CNBB. A fotografia de um ribeirinho ficou em segundo lugar no 17° Prêmio Massey Ferguson de Jornalismo.

Últimas notícias