Há pelo menos três versões para o início do incêndio de prédio em SP

Briga de moradores e explosão de panela estão entre as hipóteses levantadas por testemunhas

FELIPE RAU/ESTADÃO CONTEÚDOFELIPE RAU/ESTADÃO CONTEÚDO

atualizado 01/05/2018 15:02

Há pelo menos três versões para justificar o início do incêndio no Largo do Paissandu, em SP, nesta terça-feira (1º/5). Pessoas relataram ter visto briga entre dois moradores no quinto andar. Já o pastor da Igreja Evangélica Luterana, vizinha ao prédio em chamas e também danificada, Frederico Carlos Ludwig, disse que a zeladora da entidade foi acordada por uma violenta explosão.

Uma hipótese seria a explosão de panela de pressão ou de botijão de gás. Em chamas, o prédio desabou. Outro edifício e o templo religioso também foram afetados. Cães farejadores chegaram a ser colocados no local, mas foram retirados porque os escombros ainda estão quentes.

Stella Woo/Metrópoles

No trabalho de rescaldo, grupos de bombeiros trabalham no ponto do desabamento em turnos de meia hora e voltam para uma base montada no Largo do Paissandu, onde se hidratam e descansam.

De quatro a cinco prédios foram evacuados. A possibilidade de desabamento de outra construção atingida foi descartada pelos bombeiros. Segundo afirmou o secretário municipal de Segurança Urbana, coronel José Roberto, será feita “uma força-tarefa com engenheiros da Secretaria das Prefeituras Regionais” para que seja realizada “uma avaliação prédio a prédio”, a fim de “identificar efetivamente aqueles que estão com problemas estruturais” e, portanto, inabitáveis.

Últimas notícias