Há 74 dias no cargo, ministro da Educação sairá de férias em julho

Abraham Weintraub emendou "recesso" durante o feriado de Corpus Christi e se ausentará da Esplanda por uma semana em julho

Foto: Andre Borges/Esp. MetrópolesFoto: Andre Borges/Esp. Metrópoles

atualizado 21/06/2019 15:23

Há 74 dias no cargo, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, emendou um recesso durante o feriado de Corpus Christi, nessa quinta-feira (20/06/2019), e sairá de férias por uma semana no próximo mês. O economista assumiu a pasta em 8 de abril, quando Ricardo Veléz Rodríguez caiu.

Weintraub se afastou dos trabalhos no Ministério da Educação (MEC) na última quarta-feira (19/06/2019). Também não trabalhou no feriado de quinta. Nesta sexta-feira (21/06/2019), o ministro está de “férias” por um dia. Contando com o fim de semana (sábado, 22, e domingo, 23), ele se ausentará por cinco dias da Esplanada dos Ministérios.

Mas o descanso não se limita a junho. No próximo mês, Weintraub se afastará do trabalho por uma semana. O ministro sairá novamente de férias, entre os dias 20 e 27. As informações foram publicadas no Diário Oficial da União, nesta sexta-feira.

O documento que traz a ausência do ministro foi publicado como “despachos do presidente da República”, ou seja, foi autorizado por Jair Bolsonaro (PSL).

Weintraub chegou ao MEC após uma severa crise com o ex-titular da pasta Veléz Rodríguez. Uma sucessão de demissões, cancelamentos de provas e cortes na pasta levou Bolsonaro a demitir o colombiano.

Weintraub era secretário executivo da Casa Civil e atuava com o ministro-chefe da pasta, Onyx Lorenzoni, que o apresentou a Bolsonaro. O mandatário da Educação assumiu o cargo em 1º de janeiro.

O ministro é especialista em Previdência. Professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) desde 2014, o hoje ministro liderava o Centro de Estudos em Seguridade Social (CES).

Por telefone, a assessoria do Ministério da Educação justificou que Weintraub tem férias vencidas desde a passagem pela Unifesp. A pasta afirmou que não haverá prejuízos ao trabalho do ministério.

Moro vai aos Estados Unidos
No mesmo documento, Bolsonaro autoriza o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, a se ausentar do país no próximo mês. Centralizando uma crise após o vazamento de supostas conversas com integrantes da Lava Jato, o ex-juiz irá aos Estados Unidos.

Entre 22 e 26 de junho, Moro passará por El Paso e Washington. A justificativa para a viagem seria “realizar visita técnica a instituições norte-americanas”. O presidente autorizou o deslocamento na última quarta-feira (19/06/2019), mas só foi publicado nesta sexta (21/06/2019).

No começo do mês, Moro esteve na cidade de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, para participar da cerimônia da Operación Nueva Alianza XIX. No evento, autoridades paraguaias combatem o narcotráfico e o plantio de maconha no país.

Veja o despacho publicado nesta sexta-feira (21/06/2019):

Últimas notícias