Greve dos caminhoneiros: Justiça de SP proíbe obstrução na Dutra e na Régis

Justiça acolheu pedidos das concessionárias que administram as vias e que temem prejuízos com a greve, marcada para segunda (1º/2)

atualizado 08/02/2021 12:11

Michael Melo/Metrópoles

São Paulo – O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) proibiu, na sexta-feira (29/1), a obstrução da Rodovia Presidente Dutra, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro. O trecho estava na mira dos caminhoneiros que anunciaram greve a partir da próxima segunda-feira (1º/2).

A decisão da justiça também estipulou uma multa de R$ 10 mil para pessoas físicas e R$ 100 mil para pessoas jurídicas em caso de descumprimento da medida.

Ainda na sexta-feira, em outra decisão do TJSP, foi proibido fechamento da Régis Bittencourt, entre os quilômetros 268 (Taboão da Serra) e 569 (divisa com o Paraná). O descumprimento nesse trecho acarretará multa de R$ 2 mil.

As duas decisões atendem pedidos das empresas concessionárias que administram as duas rodovias. As empresas alegam que a obstrução das vias prejudicará os usuários e trará prejuízos para as concessionárias.

0
Greve dos caminhoneiros

segundo aumento do ano no preço dos combustíveis, anunciado na terça (26/1) pela Petrobras, está fomentando a adesão a uma greve que já estava marcada para o dia 1° de fevereiro.

Lideranças dos transportadores dizem que vinham dialogando com o governo para frear novos aumentos nos custos e que se sentiram traídos pelo anúncio de reajuste de 4,4% no diesel nas refinarias.

Os caminhoneiros também protestam contra o reajuste na tabela do frete anunciada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) no último dia 19 de janeiro, com aumento médio que varia de 2,34% a 2,51%, considerado insuficiente pela categoria para cobrir os custos. Sobretudo com nova alta no diesel.

Últimas notícias