Governo apresenta projeto de Canal do Xingó: água para 2 mi de pessoas

De acordo com ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, obra é desejo de Sergipe há 50 anos. Bahia também será beneficiada

atualizado 27/10/2021 12:38

Canal do XingóMDR/Divulgação

Enviada especial a Sergipe – O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, apresentou nesta quarta-feira (27/10), o projeto da obra do Canal do Xingó, em Sergipe. A intervenção levará abastecimento regular de água para mais de 2 milhões de pessoas, em Sergipe e na Bahia.

“É aspiração de quase 50 anos do povo de Sergipe”, disse o ministro. A obra será realizada por meio da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e da Parnaíba (Codevasf).

Presidente da companhia, Marcelo Moreira disse ao Metrópoles que o projeto executivo será entregue em novembro deste ano e, em dezembro, será feita a licitação para contratação da empresa que executará a obra da fase 1 do Canal do Xingó.

0

“O principal objetivo do Canal do Xingó é o abastecimento de água para consumo humano. Já existe captação de água do Rio São Francisco para Sergipe, mas não há possibilidade de ampliação do sistema atual. A nova obra vai pegar água do Rio São Francisco por meio de Paulo Afonso. Respeitando a topografia da região, a obra sairá mais barata para os cofres públicos”, afirmou o presidente da Codevasf.

O Canal do Xingó terá 50 quilômetros, dos quais 2,5 quilômetros são em túnel. O custo total é de R$ 607 milhões. A previsão é de que a obra também atenda 39 assentamentos, com 46 mil pessoas.

Também nesta quarta-feira, o ministro inaugurou o sistema de esgotamento sanitário de Japoatã (SE), que recebeu R$ 6,8 milhões de investimento federal. Segundo o MDR, a intervenção irá melhorar a qualidade da água de Japoatã e beneficiará mais de 4,3 mil pessoas.

Em Japoatã, Rogério Marinho assinou a ordem de serviço para início da implantação do sistema de esgotamento sanitário da cidade de Cedro, em Sergipe. A obra custará R$ 7,1 milhões e deve beneficiar 5 mil cidadãos.

*Por questões de logística, a repórter viajou em aeronave da FAB. O Metrópoles arcou com todas as despesas de alimentação e hospedagem

Mais lidas
Últimas notícias