Governadores são convidados por Pazuello para ato com a Coronavac nesta 2ª

Ministro da Saúde definiu cerimônia simbólica para marcar a saída das vacinas feitas em conjunto entre farmacêutica chinesa e o Butantan

atualizado 17/01/2021 19:37

Pazuello anuncia aquisição de 100 milhões de doses da vacinaIgo Estrela/Metrópoles

Após reclamar do evento que o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), promoveu para festejar a liberação da Coronavac pela Anvisa neste domingo (17/1), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, está organizando um ato simbólico de recebimento – e imediato envio aos estados – dos imunizantes nesta segunda (17/1), em Guarulhos.

O próprio ministro está entrando em contato com governadores, segundo o jornal O Estado de S.Paulo, e já teria a confirmação de Flávio Dino (PCdoB), do Maranhão; Eduardo Leite (PSDB), do Rio Grande do Sul; Fátima Bezerra (PT), do Rio Grande do Norte; Romeu Zema (Novo), de Minas Gerais; e Helder Barbalho (MDB), do Pará.

Convite divulgado pelo Estadão

As seis milhões de doses de Coronavac que o Instituto Butantan já importou da China serão repassadas ao Sistema Único de Saúde nesta segunda e começarão a ser distribuídas para os estados e para o DF para que a vacinação do grupo prioritário comece na próxima quarta (20/1).

A diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou por unanimidade neste domingo (17/1) o uso emergencial de duas vacinas contra a Covid-19 para os imunizantes Coronavac e Oxford/AstraZeneca/Fiocruz.

Em uma reunião que durou cerca de 5 horas, os diretores da Anvisa Meiruze Freitas, Romilson Mota, Alex Campos e Cristiane Jourdan votaram a favor dos pedidos de uso emergencial da Coronavac e da Oxford. A escolha aconteceu por maioria simples, e o diretor-presidente da agência, Antonio Barra Lima, acompanhou o parecer do colegiado.

A autorização da Anvisa é referente às 6 milhões de doses da Coronavac, produzidas no laboratório chinês Sinovac, e às 2 milhões de doses do imunizante de Oxford/AstraZeneca, produzidos no laboratório indiano Serum Institute of India.

O Instituto Butantan e a Fiocruz precisarão pedir outra autorização de uso emergencial para as doses do imunizante que forem produzidas em território brasileiro.

Últimas notícias