Ginecologista é acusado de abuso sexual por pacientes e está foragido

Prisão preventiva de José Adagmar Pereira, de 42 anos, foi pedida pela Justiça de São Paulo. Pacientes de dois estados acusam médico

atualizado 19/01/2022 12:54

Médico ginecologista José Adagmar Pereira de Moraes, de 42 anos, está foragidoReprodução

São Paulo – O médico ginecologista José Adagmar Pereira de Moraes, de 42 anos, é acusado por pacientes de cometer abuso sexual  nos estados de São Paulo e Pernambuco. Ele está foragido desde 7 de dezembro de 2021, quando o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) decretou sua a prisão preventiva.

O mandado de detenção foi expedido porque a Justiça considerou que o ginecologista é suspeito de praticar o crime de importunação sexual nove vezes.

No entanto, José Moraes já havia sido acusado de diversos crimes sexuais por oito pacientes do estado de São Paulo e seis de Pernambuco. O ginecologista atendia em Suzano, na Região Metropolitana de São Paulo.

Vítima abusada em consultório

Uma das vítimas sofreu o abuso sexual em agosto de 2020 durante uma consulta em Suzano, no interior de SP. O ginecologista simulou um exame ginecológico para apalpar os seios da mulher e introduzir os dedos em sua vagina e ânus.

O médico José Adagmar Pereira costumava pedir para fazer os exames sem uso de luvas e também fazia perguntas inapropriadas. “Se eu te pedir para tirar a roupa aqui, na minha frente, como você ficaria?”, disse ele a uma paciente de 23 anos.

Mais lidas
Últimas notícias