Gerente é preso suspeito de fraudar fretes; prejuízo chega a R$ 53 mi

Segundo a polícia, homem contratava transportadoras pagando valores acima dos de mercado e recebia comissões em troca das fraudes

atualizado 09/12/2022 16:03

Reprodução/Polícia Civil

Goiânia – O gerente de uma empresa do ramo de produção de fertilizantes de Anápolis, a 55 km de Goiânia, foi preso suspeito de fraudar preços de fretes e causar prejuízo de R$ 53 milhões ao local em que trabalhava. De acordo com a Polícia Civil de Goiás (PCGO), o homem superfaturava os valores pagos, tornando-os mais caros, em troca de comissões.

O homem, que não teve a identidade revelada, atuava como gerente de transportes na empresa e foi preso nessa quinta-feira (8/12), em uma casa de luxo.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Luiz Carlos Cruz, a Operação Carga Cara foi iniciada quando a empresa detectou uma “concentração no volume de fretes para algumas empresas” e acionou a polícia. A partir disso, foi iniciada a investigação e detectado o esquema.

Segundo a corporação, as comissões recebidas pelo funcionário após a superfaturação dos fretes contratados chegavam a R$ 200 mil mensais. Conforme a explicação do delegado, durante a investigação, foi descoberto que o suspeito integrava uma organização criminosa que faz parte da tentativa de fragmentar valores recebidos, o que pode caracterizar o crime de lavagem de dinheiro.

Também durante a apuração, foram apreendidos 3,5 mil dólares, relógios, duas casas, sendo uma no valor de R$ 1 milhão, e carros de luxo desse funcionário, tendo sido solicitado o bloqueio de R$ 53 milhões do patrimônio dele.

Mais lidas
Últimas notícias