Frente parlamentar pede que professores tenham prioridade na vacinação

Em reunião com o ministro da Educação Milton Ribeiro, deputados da Frente Parlamentar Mista da Educação levantaram pautas para 2021

atualizado 04/02/2021 17:24

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Integrantes da Frente Parlamentar Mista da Educação participaram, na manhã desta quinta-feira (4/2), de audiência com o ministro da Educação Milton Ribeiro. Os deputados pediram mais atenção do chefe da pasta à situação dos estudantes brasileiros durante o ano de 2021.

Ao Metrópoles, o professor e secretário-geral da frente, deputado Israel Batista (PV-DF), que esteve na audiência ao lado deputada federal Professora Dorinha (DEM-TO), presidente da frente, disse que o Ministério da Educação (MEC) está “à deriva” e que a pasta “adotou uma postura negacionista ao não reconhecer a crise na educação”.

Um dos principais pedidos dos parlamentares ao ministro foi a abertura das escolas em 2021. Para que isso aconteça, os deputados defendem que os professores sejam vacinados contra a Covid-19 e entrem no grupo 2 de prioridade para receber o imunizante.

Israel Batista também criticou a postura do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que enviou ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (Progressistas-AL), uma lista com 35 itens prioritários para análise do Congresso.

Um dos assuntos citados é a apreciação do projeto de lei que regulamenta o homeschooling, ou seja, o exercício do direito à educação domiciliar, conforme apurou o jornal Estadão.

“Ficamos um pouco chocados de saber que a prioridade levada pelo presidente é o homeschooling. Entendemos que, depois de 1 ano de escolas fechadas, 6 milhões de estudantes sem acesso à internet, o homeschooling de modo algum poderia ser a prioridade”, defendeu o deputado.

Batista também defendeu que o MEC não “defende as próprias pautas”. “Historicamente, os ministros da Educação sempre foram muito aguerridos nos interesses da área. Me parece que há um certo conformismo da atual gestão com todas as desatenções do governo”, afirmou.

0

A Frente Parlamentar espera que o ministro da Educação pressione o Ministério da Saúde para a inclusão dos professores entre os grupos prioritários da campanha de vacinação. Segundo o deputado Israel Batista, o ministro afirmou que vai analisar os pedidos.

Os parlamentares devem finalizar, até sexta-feira (5/2), um documento formalizando os pedidos. O relatório será enviado ao Ministério da Saúde.

Outras demandas

Uma das pautas abordadas na reunião foi a aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) na modalidade digital. Para os parlamentares, o MEC deve considerar a aplicação da prova entre 3 e 5 vezes ao ano.

“Dessa forma, poderia ajudar os estudantes que não foram fazer o Enem — que teve o maior nível de abstenção da história”, defendeu.

Os parlamentares também criticaram a queda o baixo investimento para a educação, afirmando que os Institutos Federais, universidades e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep) devem sofrer com os cortes em 2021.

Além disso, os deputados pedem a criação de um Sistema Nacional de Educação, que obrigaria o MEC a coordenar a gestão educacional de todos os estados e municípios.

“A gente precisa ter um sistema nacional para participar dessas decisões regionais. Gostaríamos que o Ministério mobilizasse a base governista no Congresso para dar seguimento ao assunto”.

 

Últimas notícias