Flordelis se apresenta para colocar tornozeleira eletrônica

A deputada é acusada de ser mandate da morte do marido, pastor Anderson do Carmo, em junho de 2019

atualizado 08/10/2020 16:53

A deputada federal Flordelis (PSD-RJ) se apresentou, na tarde desta quinta-feira (8/10), na unidade da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) de São Gonçalo, no Rio de Janeiro, para colocar a tornozeleira eletrônica.

A deputada foi intimada na noite de terça-feira (6/10), em sua casa, e tinha 48 horas para instalar o dispositivo. O prazo expirava às 17h desta quinta-feira. A princípio, a defesa dela disse que a deputada se apresentaria na quarta-feira (7/10), o que não aconteceu.

Em 18 de setembro, a juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, determinou o monitoramento eletrônico e o recolhimento domiciliar noturno da parlamentar. A defesa recorreu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), sem sucesso.

Flordelis e mais 10 pessoas foram indiciadas pelo assassinato do marido, pastor Anderson do Carmo, em junho de 2019, em Niterói. A parlamentar alega inocência e diz que é alvo de uma trama.

Procurada pelo Metrópoles, a defesa da deputada disse que não iria se manifestar.

Quebra de decoro

O corregedor da Câmara, Paulo Bengtson (PTB-PA), apresentou parecer recomendando a continuidade do processo por quebra de decoro parlamentar contra ela. Bengtson avaliou que Flordelis não conseguiu comprovar a inocência.

0

Agora, a Mesa Diretora avalia se remete ou não ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, que não está funcionando. O projeto de resolução 53/20, que solicita a instalação de quatro comissões – entre elas, de Ética e a de Constituição e Justiça – ainda não tem acordo para ser votado.

A representação que pode culminar na perda do mandato foi apresentada pelo deputado Léo Motta (PSL-MG).

Últimas notícias