Fábricas da Zona Franca paralisam produção para liberar oxigênio a Manaus

O processo de produção de oxigênio para uso hospitalar é o mesmo que para a área industrial, e têm os mesmos fornecedores

atualizado 15/01/2021 17:50

Hugo Barreto/Metrópoles

O presidente do Centro das Indústrias do Amazonas, Wilson Périco, informou que indústrias da Zona Franca de Manaus, como a LG e a Moto Honda, interromperam as atividades e a produção para que o oxigênio fosse enviado para a saúde do estado.

De acordo com informações do jornal O Globo, o processo de produção de oxigênio para uso hospitalar é o mesmo que para aplicação industrial, e tem os mesmos fornecedores (Carbox e White Martins). No setor industrial, o gás é utilizado para procedimentos como soldagem e corte.

Na última semana, foram doados mais de 43 mil metros cúbicos de oxigênio para os hospitais. O governo havia solicitado o estoque de 17 indústrias do polo, entre elas: Gree Eletric, Moto Honda, LG Eletronics, Yahama Motor, Electrolux, TPV, Whirlpool, Sodecia da Amazônia, Denso Industrial da Amazônia, Caloi, Flextronics International, Semp TCL, Ventisol, Carrier, Daikin, Samsung e Cometais.

“A requisição veio depois de toda ação da indústria, mas tem validade ao garantir que a produção de oxigênio daqui para frente será destinada para a saúde”, explicou Périco. Entretanto, segundo o presidente, as fábricas estão sem oxigênio para doar. As indústrias de Manaus que têm filiais em outros estados estão tentado adquirir o oxigênio para doação.

0

 

Últimas notícias