Ambulâncias viram “UTIs” ante falta de espaço em hospitais de Manaus

Com hospital sem capacidade de atender mais pacientes, famílias de doentes se desesperam junto aos carros do Samu

atualizado 15/01/2021 16:09

Hugo BarretoMetrópoles

Enviado especial a Manaus (AM) – Ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) estão sendo usadas como “quartos” improvisados para pacientes que correm grave risco de morte e não conseguem ser internados em leitos comuns e da unidade de terapia intensiva (UTI), em Manaus (AM). A capital do estado enfrenta um colapso da rede de saúde causado pelo avanço da pandemia de Covid-19 na região. 

No início da tarde desta sexta-feira (15/1), pelo menos quatro ambulâncias estão paradas em frente ao Hospital 28 de Agosto, na zona central da capital de Amazonas, à espera de vagas na unidade de saúde.

Familiares dessas vítimas choram e se desesperam junto aos carros do Samu parados em frente ao pronto-socorro do hospital. É possível ouvir os gritos de longe, apesar da forte chuva que atinge Manaus nesta tarde.

0

Um socorrista conta que a situação dos pacientes é preocupante. Com suspeita de terem contraído o novo coronavírus, sofrem com falta de ar no interior dessas ambulâncias, onde há pouco oxigênio disponível.

“Estamos tendo onde deixar os pacientes, mas a maca fica retida e a ambulância, parada, pois não tem leito disponível nos hospitais”, conta o motorista de ambulância Sidnei Albuquerque, ao relatar estar abalado psicologicamente com o colapso do sistema.

Ele diz que a situação se torna ainda mais grave pelo fato de que essas ambulâncias deveriam estar sendo usadas para transportar outros pacientes aos hospitais.

0

Últimas notícias