Ex-funcionárias denunciam padre por assédio sexual em Santa Luiza (MG)

Mulheres trabalhavam em colégio onde o padre é dono e denunciam rotina de abuso. Caso ocorreu em Santa Luzia (MG). Polícia investiga o caso

atualizado 30/10/2021 11:07

Padre é conhecido na comunidade e teria feito o batismo de uma das vítimasReprodução/ Paroquia São Benedito Santa Luzia/Youtube

Um padre da cidade de Santa Luzia (MG), vem sendo denunciado por ex-funcionárias por assédio sexual. José Carlos Pereira, responsável por uma igreja que fica no bairro São Benedito, na cidade da região metropolitana de Belo Horizonte, e dono da rede Colégio São Benedito, com duas unidades de escolas e uma faculdade, está sendo investigado por cometer abusos contra três mulheres que prestavam serviços no colégio em que o pároco é o dono.

Segundo as vítimas, o padre mantinha uma rotina de abusos, além de dar dinheiro para as mulheres no fim da semana. A Polícia Civil investiga o caso, mas advogados das denunciantes apontam para uma lentidão por parte da corporação.

A primeira vítima procurou a polícia no dia 29 de agosto, quando o advogado entrou com representação criminal detalhando o depoimento da jovem e pedindo apuração da denúncia. De acordo com Mário Lúcio de Moura Alves, que representa a vítima de 23 anos, os abusos começaram em março de 2020 e se repetiram semanalmente por mais de um ano.

A representação criminal descreve como o assédio teria começado: “o representado começou a praticar uma série de atos abusivos, retirando a máscara de proteção do rosto da representante, forçando beijos de lingua e afirmando que queria ser um ‘pai para ela’, que ‘gostava muito dela’, que ficava em casa e ‘pensava nela’”.

Veja mais detalhes no Portal BHAZ, parceiro do Metrópoles.

Mais lidas
Últimas notícias