Espancado até a morte no Carrefour, João Alberto teria sofrido infarto

A polícia abriu uma investigação para apurar a causa do óbito. Os dois agressores foram presos

atualizado 20/11/2020 16:52

cliente agredido e morto por seguranças do supermercado CarrefourReprodução/Redes Sociais

Porto Alegre – A delegada Roberta Bertoldo, da 2ª Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa do Departamento de Homicídios da Polícia Civil gaúcha, disse nesta sexta-feira (20/11) que a morte de João Alberto Silveira Freitas, 40 anos, espancado por seguranças do Carrefour em Porto Alegre pode ter sido decorrente de um ataque cardíaco, provocado pelas agressões.

Bertoldo recebeu informações preliminares fornecidas por legistas do Departamento Médico Legal, onde é feita a necrópsia no corpo da vítima.

João Alberto morreu na noite dessa quinta-feira (19/11), após ser espancado por dois seguranças do Carrefour no bairro Passo d’Areia, na zona norte de Porto Alegre.

0

Segundo a Brigada Militar, a confusão teria iniciado no caixa do supermercado, envolvendo o homem e uma funcionária. A vítima teria ameaçado agredir a mulher, que chamou os seguranças.

Os dois funcionários teriam posto João Alberto Silveira Freitas para fora da loja. A partir de então, as versões do fato são divergentes.

A Brigada Militar afirma que a vítima passou a brigar com os seguranças por não aceitar a remoção do local. Testemunhas que estavam no supermercado afirmam que o homem foi seguido pelos dois seguranças dentro do estabelecimento e agredido na saída.

Os dois apontados como autores do crimes, o policial militar temporário Giovane Gaspar da Silva e Magno Braz Borges, foram autuados em flagrante. O PM foi encaminhado para o Presídio Militar e o Borges, para a Cadeia Pública, conhecida como Presídio Central.

Últimas notícias