Embu-Guaçu, na Grande São Paulo, entra em lockdown nesta sexta-feira

Grande São Paulo apresenta descompasso em ações de contenção da pandemia: capital antecipa feriados e Alto Tietê não acompanha

atualizado 26/03/2021 14:33

Movimentação no primeiro dia da fase emergencial na cidade de São Paulo, nesta noite de segunda-feiraFábio Vieira/Metrópoles

São Paulo –  Embu-Guaçu é a primeira cidade da Grande São Paulo a adotar lockdown, que começa nesta sexta-feira (26/3). O decreto do prefeito José Antonio Pereira (MDB) estabelece que o confinamento, a princípio, vai até o dia 4 de abril, período em que a vizinha São Paulo, capital, antecipou feriados.

“Fica determinado o confinamento (lockdown) no âmbito do município de Embu-Guaçu, no período de 26/03/2021 a 04/04/2021, restando proibida a circulação de pessoas, excetuando-se os deslocamentos essenciais, devidamente justificados pelo caráter de urgência ou emergência às atividades, aos serviços e comércios essenciais”, diz o decreto do prefeito José Antonio Pereira.

O decreto também estabelece restrição de circulação de ônibus a apenas dois horários (das 6h às 9h e das 17h às 20h), afetando a circulação de cidadãos para a capital.

Segundo o prefeito, o lockdown é necessário por causa do aumento de casos, internações e mortes por Covid-19 em uma cidade sem hospital — a unidade hospitalar de referência mais próxima fica em Itapecerica da Serra.

O lockdown será fiscalizado pela Vigilância Sanitária e Guarda Civil Metropolitana, que poderá aplicar multas de até R$ 27 mil.

Descompasso em medidas de contenção na região

Questionado pelo Metrópoles, o secretário de Saúde da capital, Edson Aparecido, afirmou que tanto ele quanto o prefeito Bruno Covas (PSDB) estão em diálogo constante com as lideranças dos vizinhos articulando medidas conjuntas e individuais.

“O prefeito Bruno Covas tem discutido o tempo todo com os demais prefeitos da região metropolitana. O próprio decreto de antecipação de feriados acabou sendo reproduzido por outros prefeitos da região. Estamos trocando informações continuamente com os demais secretários de Saúde, até porque temos troca de pacientes.”

No entanto, enquanto Embu-Guaçu opta pelo confinamento, assim como as cidades do litoral, as prefeituras do Alto Tietê não promovem nem o lockdown nem a antecipação de feriados.

Em reunião na quarta-feira (24/3), o Conselho de Prefeitos do Consórcio de Desenvolvimento do Alto Tietê (Condemat) definiu que não valia a pena para a região se submeter à antecipação de feriados da capital.

“A antecipação dos feriados pode implicar no atraso em procedimentos administrativos importantes como aquisição de insumos para o enfrentamento da pandemia, além de problemas com o transporte público”, destacou o secretário executivo do consórcio, Adriano Leite.

Cidades turísticas como Biritiba-Mirim e Guararema temem aumento de fluxo de visitantes e instalarão barreiras sanitárias. Prefeitos do Alto Tietê defendem o lockdown em conjunto com capital para que o confinamento surta efeito.

0

Últimas notícias