Em depoimento à PF, ex-estagiária de Lewandowski nega ter informações sobre STF

Em depoimento, ela afirmou que o objetivo em servir de informante para Santos seria conseguir um emprego no gabinete da deputada Bia Kicis

atualizado 07/10/2021 18:05

Ex-estagiária de Lewandowski, Tatiana Garcia Bressan em frente a Policia Federal. Ela é apontada como informante de blogueiro bolsonarista e foi alvo de operação da PFHugo Barreto/Metrópoles

A ex-estagiária do ministro Ricardo Lewandowski, alvo de uma operação da Policia Federal (PF) nesta quinta-feira (7/10), negou ter informações sobre o Supremo Tribunal Federal (STF). A afirmação foi feita em depoimento à agentes, disse a CNN Brasil.

De acordo com as informações da televisão, Tatiana Bressan afirmou que se encontrou com o ministro Lewandowski apenas uma vez, quando iniciou no estágio.

Ela também relatou que pegava as informações que repassava para o blogueiro bolsonarista Allan dos Santos da internet e não do que acontecia dentro do gabinete. O seu objetivo ao servir de informante para Santos seria conseguir um emprego no gabinete da deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), aliada do presidente Bolsonaro.

Entenda

Tatiana Garcia Bressan, ex-estagiária do gabinete do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski, é o mais novo nome envolvido em no inquérito das fake news, que apura a produção, o financiamento e a disseminação de notícias falsas por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Nesta quinta-feira (7/10), Tatiana se tornou alvo de uma operação da Polícia Federal, em Brasília. Ela é suspeita de ser informante do blogueiro bolsonarista Allan dos Santos.

O perfil:

  • Nome: Tatiana Garcia Bressan
  • Idade: 45 anos
  • Moradia: Lago Norte, bairro nobre de Brasília
  • Função: ex-estagiária do gabinete do ministro Ricardo Lewandowski
  • Período de atividade: entre julho de 2017 e janeiro de 2019
  • O que fez: suspeita de ter vazado informações sigilosas do Supremo Tribunal Federal
  • Ligações: blogueiro bolsonarista Allan dos Santos, dono do site Terça Livre

Tatiana, de 45 anos, foi estagiária de Lewandowski entre julho de 2017 e janeiro de 2019. Ela, segundo as investigações, trocava mensagens com Allan dos Santos e aceitou o pedido dele para ser informante.

A Polícia Federal chegou ao nome de Tatiana após a quebra de sigilo telefônico do blogueiro. A ação foi autorizada pela Justiça.

A ex-estagiária teria pedido a Allan dos Santos para trabalhar na equipe da deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), uma das apoiadoras de Bolsonaro mais assíduas.

As conversas entre os dois começaram em 23 de outubro de 2018 e foram até 31 de março do ano passado. Tatiana foi aluna do autoproclamado filósofo Olavo de Carvalho, guru do clã Bolsonaro.

Em suas redes sociais, Allan dos Santos disse que Tatiana “era sua fonte” e que o exercício jornalístico havia sido violado pelo vazamento de seu nome.

Allan é dono do site Terça Livre e é conhecido pela proximidade com assessores do presidente Bolsonaro. Além de ser alvo do inquérito das fake news, ele também está envolvido na investigação do financiamento de atos antidemocráticos.

Últimas notícias