Filas nas Agências da Caixa Economica Federal - Auxilio Emergencial

Em 42 cidades do Brasil, auxílio emergencial é pago a mais da metade da população

Ao todo, 53,9 milhões de pessoas receberam o benefício, o que representa um quarto de todas as pessoas vivendo no país

atualizado 18/06/2020 11:37

Filas nas Agências da Caixa Economica Federal - Auxilio EmergencialHugo Barreto/Metrópoles

Os números são impressionantes. Um quarto da população brasileira precisou do auxílio emergencial pago pelo governo federal para diminuir os impactos econômicos da pandemia do novo coronavírus. A situação complica ainda mais quando o recorte é feito por cidades. Em 42, mais de metade da população recebeu a bolsa de R$ 600.

As informações foram analisadas pelo (M)Dados, núcleo de jornalismo de dados do Metrópoles. Os nomes de quem recebeu o auxílio emergencial estão disponíveis no Portal da Transparência. Já a população de cada cidade é estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a partir do Censo de 2010.

A cidade com o maior número de beneficiados proporcionalmente é Severiano Melo, no Rio Grande do Norte. Segundo levantamento do IBGE, o local tinha uma população de 2.440 pessoas em 2019. No entanto, 2,7 mil moradores da região pediram o auxílio emergencial. Esse caso evidencia dois pontos importantes no cruzamento de dados.

A população de cada cidade é uma estimativa baseada no último Censo, realizado há dez anos. Sendo assim, há disparidades entre os dados e a realidade. Como o número calculado pelo IBGE é utilizado para o repasse de dinheiro federal para municípios, governos locais estão entrando na Justiça para a projeção ser alterada. Há 19 casos em análise, sendo um deles em Porto Velho, capital de Rondônia.

Outro ponto relevante é o fato de não ser necessário comprovar a residência para receber o auxílio — apesar de um endereço válido ser solicitado na inscrição. Assim, não é possível ter certeza de onde a pessoa realmente vive.

A cidade potiguar é a única nessa situação. Em segundo lugar vem Maetinga, na Bahia, com 92,7% da população recebendo o benefício. Campos Verdes, no Goiás, fecha o pódio, com 88,6%. Veja o mapa com todos os município do país. Quanto mais intensa a tonalidade, maior o percentual de beneficiários naquele lugar:

Olhando o mapa, percebe-se que os tons mais fortes de vermelho estão principalmente no Norte e no Nordeste. Isso fica bem evidente quando o cálculo de beneficiários em relação à população é feito por unidade da Federação. Os estados das duas regiões ocupam as primeiras colocações, sendo o Piauí o líder, com 35,5% de seus habitantes recebendo o auxílio emergencial.

Veja o ranking por UF:

 

Últimas notícias