TSE suspende propaganda eleitoral de Bolsonaro ao lado de Michelle

Segundo a ação, a primeira-dama aparece por tempo superior ao permitido, de 25% do total da propaganda

atualizado 01/09/2022 23:23

Reprodução

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou nesta quinta-feira (1º/9) que a campanha do candidato Jair Bolsonaro (PL) suspenda a exibição da propaganda eleitoral em que a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, aparece por tempo superior ao permitido.

A ação foi movida pela Coligação Brasil para Todos e pela candidata Simone Tebet (MDB). Segundo o documento, na terça-feira (30/8) foi veiculada na Band e na TV Cultura uma propaganda eleitoral de Bolsonaro em que sua esposa aparece por mais de 25% do tempo total.

Presidente, governador, senador e deputado: veja quem são os candidatos nas Eleições 2022

“Michelle Bolsonaro qualifica-se tecnicamente como apoiadora do candidato representado e sua participação, embora claramente legítima, não poderia ter ultrapassado os 25% do tempo da propaganda na modalidade inserção”, escreveu a ministra do TSE Maria Claudia Bucchianeri.

A decisão determina que a propaganda seja suspensa imediatamente, com multa de R$ 10 mil caso haja descumprimento.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
0

Nome do vice

Também nesta quinta, o TSE decidiu que a campanha de Bolsonaro aumente os caracteres do nome de seu vice, o general Walter Braga Netto, na propaganda eleitoral.

A determinação, também assinada pela ministra Bucchianeri, foi movida pela Coligação Brasil da Esperança. Segundo o documento, o nome de Braga Netto é menor do que o permitido, ocupando apenas 10% do nome de Bolsonaro na tela, e não os 30% previstos na lei.

A propaganda ainda poderá ser exibida, desde haja ajuste no tamanho do nome, sob pena de multa.

Mais lidas
Últimas notícias