Randolfe aceita convite de Lula e desiste de disputar governo do Amapá

"A realidade do Amapá não mudará se não mudarmos a realidade do Brasil", disse Randolfe Rodrigues ao anunciar sua decisão nesta 3ª (22/2)

atualizado 22/02/2022 18:40

randolfe e lula dão as mãosRicardo Stuckert/Divulgação

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) anunciou, nesta terça-feira (22/2), que desistiu de concorrer a governador do Amapá e aceitou o convite do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para integrar seu núcleo da campanha para as eleições deste ano.

Em discurso realizado no plenário do Senado nesta terça, falando sobre a decisão, Randolfe afirmou que “tudo que acontece na vida tem o seu tempo e o seu destino” e que será “muito mais útil” aos eleitores do Amapá e do Brasil ajudando Lula na campanha.

“Afirmo que meu papel será muito mais útil nesta contenda, em ajudar a construir um novo tempo para o Brasil, aceitando o convite honroso e gentilmente formulado pelo presidente Lula, neste momento, principal representante das forças de oposição em nosso país”, pronunciou o senador.

Rodrigues relembrou que recebeu a proposta de Lula há um mês, com o objetivo de “auxiliá-lo na coordenação de sua campanha e acompanhá-lo na mais importante tarefa de nosso tempo: resgatar o nosso país do horror em que vive”.

Randolfe disse ainda que é preciso “reconstruir não somente nossa nação destruída pelo ódio, mas, sobretudo, recuperar as relações de uma sociedade desesperançada”.

Confira:

Para assumir a condição de pré-candidato ao governo do Amapá, o senador indicou o nome do pastor Lucas Abrahão.

“Oferecemos o nome e a juventude de um companheiro de jornada, Lucas Abrahão, para me substituir na candidatura ao governo pelos partidos populares”, disse. “Assumo uma nova etapa de minhas tarefas na vida, com ânimo e enorme esperança. Nossa tarefa é a reconstrução.”

Em seu perfil no Twitter, Abrahão comentou a declaração de Randolfe: “[…] Aceito com honra e responsabilidade o desafio de ser pré-candidato ao Governo do Estado do Amapá, pedindo a Deus que conduza os nossos caminhos”.

Veja:

“Essa pré-candidatura é do povo […] Com uma verdadeira mudança o Amapá vai voltar a sorrir”, disse Abrahão nesta terça.

Convite de Lula

Em 21 de janeiro deste ano, quando reuniu-se com Randolfe em São Paulo, Lula destacou que teve uma boa conversa com o parlamentar sobre o futuro do Brasil.

“Eu estava dizendo para o Randolfe que o meu problema é que eu preciso dele para ganhar as eleições. E preciso dele para ajudar a governar o Brasil, e preciso dele na campanha. E aí, no Amapá, eu espero a compreensão das pessoas”, disse Lula em vídeo gravado após a reunião.

Na campanha de Lula, o senador deve atuar na articulação política e na construção do programa de governo. Nos últimos dias, Randolfe participou do lançamento de um manifesto pela eleição de Lula ainda em primeiro turno.

“Mais do que eleger um presidente, em 2022 o Brasil fará plebiscito entre continuar o desastre ou retomar a estabilidade democrática-institucional, o fim do negacionismo, a volta da empatia social e a retomada de um desenvolvimento sustentável”, diz o documento. “Apelamos a todos os democratas, os candidatos e seus eleitores, para que nos unamos no primeiro turno a Luiz Inácio Lula da Silva.”

Mais lidas
Últimas notícias