Mamãe Falei reúne chapa e militares em simpósio de segurança pública

Evento foi realizado em associação da PM, na Armênia, e contou com a participação do Coronel Telhada

atualizado 29/10/2020 11:18

Mamãe falei em evento de campanhaDivulgação

São Paulo – O candidato a prefeito Arthur do Val (Patriotas) organizou um simpósio sobre segurança pública nesta quinta-feira (29/10) na Associação de Subtenentes e Sargentos da Polícia Militar de São Paulo (ASSPM), na Armênia, zona norte da capital.

“A insegurança é a principal agonia do cidadão paulistano, quando você pega a lista de insatisfações populares, a questão da segurança pública está no topo”, declarou o candidato, conhecido como Mamãe Falei, no início do evento.

“O Bruno Covas proibiu a GCM de aplicar mata-leão. Ele espera o que? Que o policial olhe para o vagabundo e o deixe praticar o crime?, questionou. “A gente precisa de política baseada em evidência”, acrescentou.

O evento reuniu cerca de 50 pessoas no salão da ASS-PMSP. “Completamos, no último dia 20, 87 anos de existência desde a revolução constitucionalista de 1932”, contou Írio Trindade, o presidente da associação. “Nossa missão é compartilhar experiências nos mais de 600 municípios do estado”, explicou.

O Coronel Telhada, deputado estadual do PP eleito e reeleito com mais de 200 mil votos em 2014 e 2018, destacou que é preciso “não confundir segurança pública com questões ideológicas”, propondo mais investimentos, poder e patrulhamento na área de segurança pública. Ele também criticou divergências entre as polícias civis e militares e a realização de “pancadões” nas periferias.

“O cara que vai ser o meu posto Ipiranga, e real porque tem um posto mesmo, na segurança pública”, comentou do Val a respeito do policial aposentado.

Já o candidato a vereador Ligieri (Patriotas) fez ressalvas às condições da Guarda Civil Municipal (GCM) em São Paulo. “Nossa guarda era para ter 25 mil homens. Só que está com cerca de seis mil”, informou. “No seu bairro, deve ter dois ou três guardas municipais”, afirmou.

Com 70% das delegacias fechadas por falta de policiais civis, segundo ele, o candidato vê urgência na atuação municipal. “É responsabilidade do governador. Mas a prefeitura pode trabalhar para melhorar isso”, disse ele.

A candidata a vice-prefeita na chapa de Mamãe Falei, Adelaide Oliveira (vice-prefeita), pontuou que o objetivo da chapa é melhorar o emprego dos efetivos e equipamentos de segurança, para dar mais eficiência à área de segurança pública.

“No nosso programa, a gente fala de melhor gestão dos recursos públicos”, disse ela. “A preocupação tem que ser com a segurança do cidadão”, completou.

Últimas notícias