Brigão, Mamãe Falei debate com jornalista e mira “anomalias” na Cultura

Candidato do Patriota, que abriu mão do fundo eleitoral, discutiu com jornalista no Twitter sobre gabinete e assessores

atualizado 20/10/2020 22:06

São Paulo — Após entrevista no jornal O Estado de S. Paulo na tarde desta terça-feira (20/10), o deputado federal Arthur do Val (Patriota), conhecido como “Mamãe Falei”, foi criticado pela jornalista Vera Magalhães por ter participado da sabatina do veículo de comunicação em seu gabinete, com quatro assessores, e não no comitê da campanha. “Agora é horário de expediente”, disse a jornalista.

O candidato respondeu à crítica, no Twitter, ironizando: “O máximo que você consegue pra me ‘criticar’ é dizer que fiz uma live no meu próprio gabinete”.

Com fama de brigão por suas posturas conservadoras e estridentes exibidas no canal “Mamãe Falei”, no YouTube, que lhe rendeu o apelido e a segunda maior votação paulista para uma vaga na Câmara dos Deputados em 2018, do Val orgulha-se de ter recusado dinheiro do fundo eleitoral para a sua campanha. “Sou o único candidato que não pega dinheiro de imposto pra fazer santinho e aparecer bonitão na tela da TV dos outros”, afirmou.

Durante a sabatina, ele apontou “anomalias” no uso de dinheiro público pela Cultura, em “panelinhas que sugam todo o dinheiro público para um projeto só”. Mamãe Falei propõe a pulverização do orçamento destinado aos espetáculos e obras culturais na cidade e mudanças nos processos de editais, restringindo a 30% das verbas os projetos que são feitos por mesmos autores ou companhias e proibindo a participação em conselhos de artistas que estejam, também, a propor projetos.

“O orçamento de Cultura em São Paulo é extremamente reduzido, estou falando de menos de meio bilhão de reais por ano. Enquanto, por exemplo, a Câmara Municipal gasta mais de 0,7 bilhão”, disse ele. “Acredito que o orçamento de Cultura deva ser pulverizado. Hoje, o Covas, por exemplo, defende R$ 10 milhões com um projeto chamado ‘Arte na Varanda’, no meio da pandemia. A meu ver, isso é mais uma obra populista para aparecer”, criticou.

Do Val faz ressalvas à politização ideológica do setor e cogita acabar ou enxugar o orçamento da Virada Cultural, um dos eventos mais prestigiados pela população da cidade. “A área da Cultura é dominada ideologicamente por uma vertente que não permite que outras expressões culturais floresçam.”

Segurança

Na área da segurança pública, “Mamãe Falei” propõe mais investimentos na área de inteligência, inclusive para amparar projetos destinados à Cracolândia. “A Guarda Civil Metropolitana muitas vezes não tem um trabalho organizado na área de inteligência porque não tem pessoal dedicado a esse trabalho tático, inclusive levar denúncias para o Ministério Público”, afirmou, propondo a atuação conjunta dos órgãos.

“Não quero dizer que a Prefeitura vai se tornar um Estado policialesco, mas pode contar com o apoio do Ministério Público para combater a corrupção do Estado”, disse ele.

O candidato tinha 2% das intenções de voto no início da corrida eleitoral, mas, segundo as últimas pesquisas, sua popularidade caiu para 1% dos entrevistados. Mamãe Falei angariou votos para sua cadeira no Congresso Nacional com militância no Movimento Brasil Livre (MBL), mas, na eleição para a Prefeitura de São Paulo, diz falar por sua própria voz. O candidato se filiou ao Patriota após ter sido expulso do DEM, em 2019.

Últimas notícias