*
 

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) marcou para a quarta-feira (24/10), quatro dias antes do segundo turno das eleições presidenciais, o julgamento do recurso do ex-ministro Antonio Palocci, condenado no ano passado por Sergio Moro a 12 anos e dois meses de prisão. As informações são da revista Carta Capital.

Uma consulta aos processos na corte indica que o recurso foi incluído na pauta de julgamento pelo revisor Leandro Paulsen no último dia 4 de outubro.

Palocci foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, acusado de receber propina de contratos de fornecimento de sondas à Petrobras conquistados pela Odebrecht. Moro também estabeleceu uma multa de R$ 1,02 milhão.

O ex-ministro, que assinou com a Polícia Federal um acordo de delação premiada antes recusado pelo Ministério Público, tornou-se um dos personagens centrais das eleições deste ano.

Duas semanas antes do primeiro turno, Moro liberou parte das acusações de Palocci contra Lula, Dilma Rousseff e o PT.

O conteúdo da delação, mesmo sem apresentar provas, acabou amplamente divulgado pelos meios de comunicação e pelos demais presidenciáveis.

Efeito negativo
Muitos analistas políticos atribuem à decisão de Moro um efeito negativo sobre a campanha de Fernando Haddad, que experimentava naquele momento uma ascensão nas pesquisas.

Coincidência ou não, o adversário do petista no segundo turno, Jair Bolsonaro, ganhou mais eleitores desde então e quase venceu no primeiro turno.