Educação: Onyx compara contingenciamento a pai que evita “cervejinha”

Durante palestra em Brasília, ele afirmou que a convocação de manifestações contra a medida para esta quarta (15), pela oposição, é "normal"

atualizado 15/05/2019 12:35

O chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse nesta quarta-feira (15/05/19) que não há cortes na Educação, mas um contingenciamento e comparou a situação com um pai que corta “churrasquinho” e cervejinha” para comprar um vestido de 15 anos para a filha.

“Um contingenciamento é fazer um orçamento, é guardar, poupar. É que nem o pai que tem que comprar o vestido de 15 anos da filha em outubro, mas ele tá em maio. Ele vai vendo o que vai entrando e gastando e vê: ‘Ih, pode ser que eu não consiga comprar o vestido da Tereza ou o tênis do João. Então, não vou comprar o churrasquinho, a cervejinha do fim de semana'”, disse.

A declaração foi dada durante palestra no evento de dirigentes das áreas de rádio e TV de Santa Catarina, com a participação de deputados federais e senadores, no hotel Meliá, em Brasília.

A respeito da convocação de manifestações por parte de parlamentares da oposição e do Centrão, o chefe da Casa Civil afirmou ser “normal” que eles lutem pelas universidades das quais têm relação.

Para o ministro, a educação no Brasil é um caso “raro” e não pode ficar no “vou, não vou”. Na ocasião, ele apontou que é preciso rever os motivos pelos quais há um aumento no tempo de escolaridade nos últimos anos, mas sem impacto econômico.

Pela manhã, a assessoria da Casa Civil informou ao Metrópoles que o contingenciamento das verbas da Educação é um “assunto superado”.

Últimas notícias