metropoles.com

Orçamento para pesquisa científica em 2023 é o menor desde 2014

Projeto de Lei do Orçamento prevê corte de 17,42% para o ensino superior; frente parlamentar tenta negociar reajuste para o níveis de 2019

atualizado

Compartilhar notícia

Getty Images
Foto colorida de mulher vestida com roupa branca em um laboratório manuseando tubos de ensaio. Foto ilustra reportagem sobre redução de orçamento para pesquisa no Brasil. / Metrópoles
1 de 1 Foto colorida de mulher vestida com roupa branca em um laboratório manuseando tubos de ensaio. Foto ilustra reportagem sobre redução de orçamento para pesquisa no Brasil. / Metrópoles - Foto: Getty Images

O ensino superior e as pesquisas científicas terão em 2023 o menor orçamento previsto em oito anos. A verba destinada à produção de ciência e tecnologia no país, segundo o projeto de lei orçamentária do próximo ano, é de R$ 17,1 bilhões — 58,5% menor que em 2014, quando era de R$ 38,9 bilhões.

Os dados fazem parte do relatório feito pelo Observatório do Conhecimento em parceria com a Frente Parlamentar Mista da Educação, e divulgado nesta terça-feira (8/11). Os valores foram corrigidos pela previsão de inflação para 2022 e 2023, conforme a pesquisa Focus divulgada pelo Banco Central em outubro.

O levantamento aponta uma redução no orçamento para essas duas áreas desde o início do governo Jair Bolsonaro (PL), com nova queda prevista para 2023. Em comparação com o ano passado, a previsão é de um corte de 17,42% em comparação com o montante destinado ao ensino superior em 2022.

Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) para o próximo ano prevê R$ 17,1 bilhões para o ensino superior e ciência, um valor 9,7% menor do que o previsto inicialmente para 2022 (quando a PLOA destinava R$ 18,9 bilhões).

Negociação

A frente parlamentar tenta negociar a recomposição do orçamento em R$ 8 bilhões acima do valor previsto — nesse caso, o orçamento para a produção científica no país saltaria para R$ 25,3 bilhões, o mesmo patamar de 2019, quando o atual governo assumiu.

“O orçamento do conhecimento vem caindo constantemente desde 2014, e quando a gente faz uma soma do que deixou de ser investido no ensino superior e na pesquisa, chegamos ao montante de R$ 130 bilhões de reais nos últimos oito anos”, afirmou o deputado professor Israel, presidente da frente parlamentar.

“O pedido de negociação é razoável para dar impulso e [o investimento na área] voltar a ter uma trajetória ascendente”, adicionou.

Representantes da frente têm uma reunião marcada ainda nesta terça (8/11) com o relator do orçamento, senador Marcelo Castro (MDB-PI), para tratar a respeito do assunto.

Previsão

O projeto do Orçamento de 2023 (PLN 32/22) foi enviado pelo Executivo ao Congresso Nacional em 31 de agosto e tem previsão de votação em plenário para o dia 16 de dezembro.

O cálculo que baseia os dados do relatório considera os valores destinados para as universidades federais (tanto para gastos correntes como para investimentos), além do orçamento de órgãos ligados à ciência e tecnologia, como o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior).

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações