Inep: com suspeita de vazamento, provas do Encceja estão sob risco

Presidente do instituto confirma quebra de protocolo na segurança do exame e admite que há o risco de a avaliação não ser aplicada neste ano

Michael Melo/MetrópolesMichael Melo/Metrópoles

atualizado 21/05/2019 22:01

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Ribeiro Lopes, disse na noite desta terça-feira (21/05/2019) que ocorreu uma quebra de protocolo na segurança para a produção do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). Segundo ele, ao menos dois servidores responsáveis pelo envio da prova à gráfica em São Paulo terão suas exonerações publicadas no Diário Oficial desta quarta-feira (22/05/2019). Com isso, Lopes admite que há o risco de o exame não ser aplicado neste ano.

Inicialmente, a data do exame estava prevista para o dia 25 de agosto, com provas aplicadas pela manhã e pela tarde.

Uma eventual troca de data do Encceja vai depender se a equipe de avaliação de risco do Inep alegar que será preciso elaborar um novo banco de questões.

Embora o presidente do instituto tenha informado que o conteúdo da prova não foi vazado, como o protocolo de segurança foi quebrado, a hipótese está em análise.

“Houve a quebra no protocolo de segurança do Inep. Até o momento, não tivemos conhecimento sobre o vazamento da prova. Mas, em função desta quebra, estamos desligando as pessoas envolvidas”, declarou. “O importante é que o Inep tenha credibilidade”.

O protocolo de segurança é feito em duas partes separadas: um servidor leva a prova gravada em uma mídia para São Paulo. Outro leva a senha para abrir a mídia em uma “sala segura” da gráfica onde o Inep imprime o exame.

Terceira pessoa
Os servidores viajam em voos diferentes, justamente para manter o sigilo das informações. A quebra do protocolo ocorreu quando a pessoa que foi levar a senha a esqueceu em Brasília e precisou ligar para um supervisor que estava no instituto. Este servidor entrou na sala segura do Inep para recuperar o código, o que contraria as regras de segurança da instituição.

Câmeras de segurança registraram o momento em que uma terceira pessoa teve acesso à senha e fez a ligação para a responsável por transportá-la à gráfica.

De acordo com Lopes, o envio físico da prova e do código serve para que não haja interceptação dos dados. Como o contato foi feito por celular, as informações já não estão seguras.

A gráfica responsável pela impressão é a Valid Soluções S.A. O Inep fechou contrato para imprimir o Encceja em 30 de abril e, nesta terça, também assinou o contrato para o Exame Nacional de Ensino Médio (Enem).

Risco para Enem?
Questionado se o mesmo problema poderia acontecer com o sigilo da prova do Enem, Lopes ressaltou que o as regras de segurança são mais rigorosas. “A prova e a senha são escoltadas pela Polícia Federal, que acompanha e inclusive filma o momento em que a mídia é aberta na sala segura da gráfica”,explicou. “A falha na segurança ocorreu no Inep e não na gráfica”, acrescentou.

Apesar do imprevisto, Lopes informa aos interessados em participar do Encceja que as inscrições continuam. Começaram na última segunda (20/05/2019) e encerram em 31 de maio.

Em menos de 48 horas, segundo o Inep, já tinham sido registrados 730 mil inscritos – 119 mil para o Ensino Fundamental e 611 mil para o Ensino Médio. A prova é destinada a jovens e adultos que não tiveram a oportunidade de concluir seus estudos na idade apropriada e estão interessados em obter um certificado. A inscrição é gratuita e deve ser feita pelo Sistema Encceja.

Últimas notícias