Estudantes de medicina protestam contra emendas ao Médicos pelo Brasil

O grupo questiona emendas do projeto que, segundo os jovens, flexibilizam a revalidação do diploma médico no país

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 24/09/2019 14:48

Estudantes de medicina do Distrito Federal e de Goiás protestam, na manhã desta terça-feira (24/09/2019), na Câmara dos Deputados contra a medida provisória 890/2019, que trata sobre o programa Médicos pelo Brasil, proposta de substituição dos Mais Médicos no governo do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL).

O grupo questiona emendas do projeto que, segundo os jovens, flexibilizam a revalidação do diploma médico no país, em que faculdades privadas também participam do processo. Atualmente, só as universidades públicas são responsáveis pela revalidação, com o auxílio do Ministério da Educação (MEC).

“Isso transformará a revalidação uma verdadeiro negócio, em que essas faculdades, em sua maioria, irão visar apenas o lucro e não a qualidade do médico que atenderá nossa população”, disse Matheus Ribeiro, diretor científico da Associação dos Estudantes de Medicina do Brasil e acadêmico de medicina do 5° ano do UniCEUB.

As mudanças na revalidação de diplomas médicos atingiriam milhares de estudantes e profissionais brasileiros formados no exterior. De acordo com o Ministério da Saúde, há ao menos 120 mil brasileiros que precisariam revalidar o diploma. Além disso, há ainda cerca de dois mil médicos cubanos, que ficaram no Brasil após o fim da parceria entre os dois países no programa Mais Médicos.

Últimas notícias