Enade 2019: de 435 mil estudantes inscritos, só 8% se autodeclararam pretos

A porcentagem de alunos que se disseram pardos na hora da inscrição foi de 33%, enquanto alunos declarados brancos ocuparam 54% do total

atualizado 20/10/2020 12:30

Myke Sena/ Especial para o Metrópoles

Dos 435.469 estudantes inscritos para fazer o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes 2019 (Enade), apenas 8% se autodeclararam pretos. A porcentagem de alunos que se disseram pardos na hora da inscrição foi de 33%, enquanto os que se consideram brancos ocuparam 54% do total. Apenas 5% marcaram a opção “outros” no questionário.

De acordo com o levantamento divulgado nesta terça-feira (20/10) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a maioria dos inscritos no Enade 2019 era formada por mulheres – 55% – enquanto os homens somaram 45% do total.

Dezoito por cento dos inscritos na avaliação disseram ter renda familiar de até um salário mínimo e meio. Vinte e oito por cento na avaliação disseram ter renda familiar de até 3 salários mínimos, enquanto 12% disseram que vivem em uma casa com renda de até seis salários mínimos; 20% afirmaram ter renda entre três e quatro salários mínimos e meio; e 12 % declararam viver com a renda familiar entre 4,5 e 6 salários mínimos.

Segundo o Inep, 60% dos entrevistados foram beneficiados por subsídios ou financiamentos públicos. Desses, 24% disseram que utilizaram apenas o Financiamento Estudantil (Fies). Oito por cento, que usufruíram de bolsa integral do Programa Universidade para Todos (ProUni); 2% tiveram bolsa parcial no mesmo subsídio e 2% usufruíram dos dois, tanto Fies quanto Prouni.

0

O Enade 2019 avaliou 1.225 instituições (85% privadas) e 8.368 cursos (76% de universidades privadas). Do total de alunos avaliados, 76% são de instituições privadas de ensino e 95% de cursos presenciais.

Em 2019, o Enade aferiu conhecimentos de alunos que concluíam o bacharelado em engenharia; arquitetura e urbanismo; ciências agrárias; ciências da saúde e áreas afins, além daqueles de cursos superiores de tecnologia das áreas de ambiente e sáude; produção alimentícia; recursos naturais; militar e segurança. Essas áreas voltarão a ser avaliadas em 2022.

Com 40 questões, o Enade é formado por duas partes: formação geral e componente específico. O componente específico, que conta com 30 questões, equivale a 75% da nota do exame, que varia de 0 a 5. Dessa forma, a nota atribuída às instituições de ensino superior é a soma das médias ponderadas obtidas por seus alunos tanto nos componentes específicos quanto na formação geral.

O objetivo do teste é aferir o desempenho dos estudantes em relação a conhecimentos, competências e habilidades desenvolvidas ao longo do curso. O ciclo avaliativo tem três anos, com a divisão dos cursos de acordo com sua área e modalidade (bacharelado, licenciatura e de tecnologia). Ao todo, são 23 áreas de conhecimento avaliadas a nível de bacharel e licenciado, e 6 para cursos superiores de tecnologia, totalizando 29 cursos de nível superior.

Últimas notícias