Segurado do INSS que teve BPC suspenso deverá pedir reativação do benefício

Portaria foi publicada pelo instituto nesta quinta-feira (5/11). Em março, governo suspendeu bloqueio por falta de regularização no CadÚnico

atualizado 05/11/2020 9:51

Fotos Igo Estrela/Metrópoles

Segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que tiveram o pagamento do Benefício de Prestação Continuada (BPC) suspenso ou cessado até março deste ano, poderão entrar com um pedido de reativação do benefício via Meu INSS ou Central 135.

O INSS publicou portaria no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (5/11) que dispõe sobre o assunto. Em março, devido à pandemia do novo coronavírus, o governo do presidente Jair Bolsonaro resolveu suspender o bloqueio do pagamento do BPC.

Na prática, o BPC paga um salário mínimo (R$ 1.045) por mês para a pessoa idosa de baixa renda. O valor é devido ao segurado que tiver renda familiar de até 1/4 do salário mínimo (R$ 261,25) por pessoa, calculada por meio do Cadastro Único (CadÚnico).

A portaria do Ministério da Cidadania publicada em março deste ano suspendeu o bloqueio do BPC para segurados que não estavam com a situação regularizada no Cadastro Único. Agora, é preciso estar inserido no programa e, portanto, reativar o benefício.

Na ocasião, o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, disse, em uma rede social, que a medida alcançava mais de 243 mil brasileiros, “sendo mais de 100 mil idosos que ainda não se inscreveram no Cadastro Único”. Veja, a seguir, um trecho da nova portaria:

“Para desbloqueio do crédito ou reativação do benefício que tenha sido suspenso ou cessado, ou ainda, na hipótese de pagamento bloqueado, o interessado deverá realizar a solicitação junto ao INSS, por intermédio dos canais remotos disponíveis”.

Ainda segundo a portaria, os benefícios constantes na listagem encaminhada pelo Ministério da Cidadania para reativação, e não abrangidos pelo procedimento automático, serão reativados de forma manual pelas unidades descentralizadas do INSS.

O pedido também pode ser feito pelo segurado nas situações em que o BPC estiver suspenso ou cessado por motivos diversos da não inscrição no CadÚnico, como ausência de saque do valor do benefício ou por não realização de comprovação de vida.

Últimas notícias