Reforma: após concurso público, só os mais bem avaliados serão efetivados

Ministério da Economia disse acreditar que filtro do estágio probatório não está sendo feito da maneira adequada

atualizado 03/09/2020 21:57

A reforma administrativa do governo federal quer mudar o período de estágio probatório para “vínculo de experiência”, em que apenas os mais bem avaliados ao fim desse tempo serão efetivados no funcionalismo público.

O texto da Proposta de Emenda à Constituição (PEC), batizado de Nova Administração Pública, está sendo apresentado na manhã desta quinta-feira (3/9) em coletiva realizada pelo Ministério da Economia.

O estágio probatório é o período em que o servidor público tem o desempenho avaliado, onde será verificado se possui capacidade para o desempenho do cargo efetivo no qual ingressou por força de concurso público.

Agora, de acordo com o Ministério da Economia, o “vínculo de experiência”, que vai entrar no lugar do estágio probatório, será “etapa intermediária entre as provas do concurso público e a efetividade nos cargos”.

Saiba mais sobre reforma administrativa no ponto a ponto que o Metrópoles preparou.

Na prática, só os mais bem avaliados durante “vínculo de experiência” serão efetivados. Isso porque o concurso público não vai dar mais direito automático ao cargo. Essa etapa será de, no mínimo, dois anos.

O governo apontou como “pouco efetivo” o desenho do estágio probatório ao apresentar os seguintes dados: entre 2016 e junho de 2019, apenas 0,4% dos servidores são desligados no Executivo federal nesse período.

“Esse filtro que deveria ser feito no estágio probatório não está sendo feito da maneira adequada”, apontou o secretário de Gestão e Desempenho de Pessoal, Wagner Lenhart, nesta manhã.

Últimas notícias