Petrobras quer atingir neutralidade das emissões de carbono

A decisão está alinhada ao posicionamento mundial das 12 empresas integrantes da Iniciativa Climática para Óleo e Gás (OGCI)

atualizado 20/09/2021 11:05

Rio de Janeiro RJ Sede da Petrobras no Centro do RioAline Massuca/ Metrópoles
A Petrobras anunciou, nesta segunda-feira (20/9), que pretende atingir a neutralidade das emissões de carbono, em prazo compatível com o estabelecido pelo Acordo de Paris. A companhia também manifestou que vai influenciar seus parceiros a atingir a mesma ambição em campos de petróleo e gás.
A decisão está alinhada ao posicionamento mundial das 12 empresas integrantes da Iniciativa Climática para Óleo e Gás (OGCI), consórcio ao qual a Petrobras faz parte desde 2018. Juntas, essas empresas representam cerca de 30% da produção global de óleo e gás e colaboram para acelerar a transição para baixo carbono.
“Nos últimos 11 anos, a companhia aprimorou em 47% sua eficiência em carbono na exploração e produção de petróleo e se estabeleceu como uma das produtoras de óleo e gás mais eficientes do mundo. Para seguirmos avançando nas reduções estamos prevendo ainda estabelecer um programa voltado especialmente para a aceleração da descarbonização”, destaca o diretor de Relacionamento Institucional e Sustentabilidade da Petrobras, Roberto Ardenghy.
Para os próximos anos, Petrobras prevê investimentos de US$ 1 bilhão em compromissos de sustentabilidade, envolvendo a descarbonização das operações; o desenvolvimento de combustíveis mais sustentáveis, como diesel renovável e bioquerosene de aviação; e pesquisas em energias renováveis e soluções de baixo carbono.
O Acordo de Paris, assinado em 2015 por quase 200 países, prevê a adoção de políticas climáticas voltadas à redução da emissão de gases de efeito estufa, com o objetivo de limitar o aumento médio da temperatura global a menos de 2°C acima dos níveis pré-industriais até o fim do século (com esforços para 1,5°C).

Últimas notícias