Paulo Guedes sobre nota de R$ 200: “Lobo-guará terá carreira curta”

Segundo ministro, com o PIX, sistema de pagamentos instantâneos criado pelo Banco Central, haverá menos dinheiro físico em circulação

atualizado 29/10/2020 14:12

paulo guedesRafaela Felicciano/Metrópoles

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta quinta-feira (29/10) a cédula de R$ 200, estampada pelo lobo-guará, “terá carreira curta” com a chegada do PIX, sistema de pagamentos instantâneos criado pelo Banco Central, porque haveria menos dinheiro físico em circulação.

Guedes destacou que a nota de R$ 200 foi criada porque o Brasil estava com dificuldade de fazer o dinheiro circular entre os mais pobres. E, com isso, seguiu “na contramão do mundo, que está indo para notas baixas para acabar com o crime.”

“No futuro vai acabar o lobo-guará, nota de R$ 200, de R$ 100. Isso tudo vai diminuir brutalmente. Da mesma forma que tivemos o auxílio emergencial, tivemos o logo-guará. Tivemos que pedir ajudar ao lobo-guará para o dinheiro circular. O Brasil voltando, a doença indo embora, o lobo-guará vai se aposentar, terá carreira curta. O auxílio emergencial também, se Deus quiser”, afirmou.

0

O PIX é uma nova opção de transferência de pagamento instantâneo, por meio de aplicativo de celular, que começa a funcionar em 16 de novembro.

Novo imposto

O ministro também voltou a defender a criação de um novo imposto digital e negar a relação com a antiga Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF).

“As pessoas nem entenderam que tem um futuro digital chegando. O Brasil é a terceira ou quarta economia digital do mundo. Nós vamos ter que ter um imposto digital mesmo”, afirmou, acrescentando que não haverá aumento de carga tributária. “Vamos diminuir os outros”.

Guedes destacou também que a autonomia do Banco Central é “um sonho de 30 anos” e que a medida é “um capítulo decisivo para despolitizar a moeda”. A autonomia do BC está na pauta da próxima terça-feira (3/11) do Senado Federal.

Últimas notícias