“Paulo Guedes está isolado na defesa do teto de gastos”, diz Maia

Presidente da Câmara se disse preocupado com o rumo que o governo federal pode tomar em relação aos gastos públicos

atualizado 02/11/2020 16:14

Rafaela Felicciano/Metrópoles

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta segunda-feira (2/11) que o ministro da Economia, Paulo Guedes, está quase sozinho na defesa do cumprimento do teto de gastos.

“O ministro Paulo Guedes está quase que sozinho, isolado, na defesa do governo, da necessidade de se encontrar caminhos respeitando as regras atuais, começando pelo teto de gastos”, frisou.

A declaração foi dada em entrevista ao jornal Valor Econômico. Maia se mostrou bastante preocupado com a possível agenda que o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vai assumir em relação ao teto de gastos.

Em uma espécie de pré-campanha eleitoral, o mandatário do país tem embarcado na ideia do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, para furar o Orçamento e realizar obras públicas.

“Não tem saída fácil; porque a saída, fora do teto, é a explosão da taxa de juros, o encurtamento ainda maior da dívida pública e uma recessão maior”, ressaltou o titular da Câmara dos Deputados.

Segundo pontuou o democrata, da mesma forma que a conta chegou para a então presidente Dilma Rousseff (PT), após adesão a “pautas populistas” sobre o Fies, a fatura pode chegar para o atual governo.

“A conta chega para quem sinaliza que não vai respeitar o equilíbrio fiscal. Uma medida popular, ou populista, pode ter consequências muitos maiores para aqueles que, em tese, serão beneficiados”, assinalou o político fluminense.

Veja aqui a íntegra da entrevista do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, ao Valor Econômico.

0

Últimas notícias