Pandemia causa retração da atividade econômica em 2,8% no Amazonas

O Banco Central mostra que a contração na categoria “vestuário e calçados” foi de 82%

atualizado 04/03/2021 16:12

Diante do agravamento da pandemia da Covid-19 no Amazonas, das medidas restritivas e do isolamento social, o Banco Central (BC) apontou, nesta quinta-feira (4/3), o estado como um dos que mais sofreu com a retração da atividade econômica local em relação ao resto do país.

O BC publicou um boxe do Boletim Regional, o qual mostra uma comparação de indicadores de atividade econômica de alta frequência do Amazonas, que registrou um tombo de 2,8% em 2020.

Os números sugerem que a contração econômica é similar à observada em abril do ano passado. “Dadas as dinâmicas distintas de evolução da Covid-19 nos estados brasileiros, o caso do Amazonas sinaliza os possíveis impactos de um agravamento severo da epidemia em outras regiões”, pontuou o BC.

De acordo com o relatório, as transações de bens e serviços efetuadas com cartão de débito registraram recuo de 13% até 10 de fevereiro em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo dados da Câmara Interbancária de Pagamentos – Sistema de Liquidação de Cartões (CIP/SLC).

Outras áreas

O BC também destaca as contrações em “vestuário e calçados” (82%) e em “restaurantes e similares” (54%). Comparativamente, o Norte (ex-AM) registrou expansão em praticamente todos os segmentos no mesmo período.

Na categoria “Lazer e varejo”, que engloba lugares como restaurantes, shoppings, cinemas, entre outros, a média móvel de sete dias até 12 de fevereiro apresentou retração de 47%, de acordo com o Google Mobility Report.

“Isso produziu forte impacto nos setores da economia ligados ao consumo das famílias”, informou o relatório.

O BC divulgará o Boletim Regional completo nesta sexta-feira (5/3), às 10h. A publicação tem o objetivo de mostrar como está a atividade econômica das regiões a partir de dados e indicadores.

Últimas notícias