Com agravamento da pandemia, Senado cancela sessões híbridas

A partir desta sexta-feira (5/3), a Casa passará a realizar somente sessões virtuais, sem a presença de parlamentares e servidores

atualizado 04/03/2021 12:23

Rafaela Felicciano/Metrópoles

Ao abrir a sessão para a votação da PEC Emergencial, nesta quinta-feira (4/3), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), anunciou a decisão de cancelar o funcionamento híbrido das sessões a partir desta sexta-feira (5/3) e retomar o sistema de votações exclusivamente virtuais, ou seja, sem a presença física na Casa dos parlamentares e de servidores.

De acordo com Pacheco, as duas sessões marcadas para esta quinta-feira (4/3) será realizadas semipresenciais. No entanto, devido ao agravamento da pandemia, ele tomou a decisão de “retroceder” ao sistema virtual desenvolvido pelo Prodasen.

“Vamos precisar retroceder, dar um passo atrás para poder dar outros na frente”, disse o presidente da Casa.

Na tarde desta quinta-feira, está marcada uma audiência pública com o presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torre. Esta será a última a ocorrer de forma semipresencial.

“Por isso, esta é a sessão que será realizada presencialmente, faremos especial de oitiva de autoridade, inclusive do presidente da Anvisa na data de hoje. As  próximas sessões realizaremos no sistema unicamente virtual, no bunker do Prodasem, que funciona bem com a participação de  todos os senadores”, comunicou.

“Embora eu quisesse avançar para ter uma ambiente semipresencial, com mais presença no Senado federal, infelizmente o que nós vemos hoje é um avanço muito severo da pandemia do Brasil, com decretação  do lockdown pelo governo do Distrito Federal, com o aumento do número de infectados e um aumento muito significativo e triste no número de mortos”, justificou.

Na semana passada, Pacheco já havia proibido o acesso de visitantes às dependências do Senado. No entanto, os senadores chegaram à conclusão de que a medida não será suficiente para conter as possibilidades de infecção.

0

 

 

Mais lidas
Últimas notícias