Mourão afirma que encolhimento de 9,7% no PIB “já estava na conta”

Vice-presidente também comparou a situação brasileira à de outros países ocidentais em pior situação

atualizado 01/09/2020 12:57

O vice-presidente Hamilton MourãoHugo Barreto/Metrópoles

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB), disse que a queda no Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre já era esperada. Na chegada ao prédio da Vice-Presidência nesta terça-feira (1º/8), o general disse acreditar numa retomada econômica a partir do segundo semestre, e afirmou que espera um retração do PIB entre 4,5% e 5% no ano. “Já se pensou que encolheria 9%, 10%, [e] vai ser bem menos que isso”, sustentou.

O somatório das riquezas de tudo que o país produz caiu 9,7% no segundo trimestre de 2020 e o país entrou em recessão técnica — quando há queda em dois trimestres seguidos. Os dados foram divulgados nesta terça pelo IBGE.

0

“Essa queda já estava prevista, já estava na conta, a gente já sabia que ia acontecer por conta da pandemia, isso já estava precificado. Agora, a partir do segundo semestre, nós vamos começar um movimento mais vigoroso de retomada”, disse.

Mourão também comparou a situação brasileira à dos outros países que compõem o Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) e a nações europeias.

“Nós tivemos outros países, nossos companheiros aí do Brics, como a Índia, que teve uma queda expressiva. Outros países da Europa ocidental caíram mais do que a gente. O Brasil não foi tão prejudicado, como a gente imaginava, nessa questão da pandemia, em termos de queda da atividade econômica. O nosso problema é que nosso colchão era pequeno em relação aos demais”, lamentou.

Últimas notícias