INSS: servidores vão paralisar em meio a crise do coronavírus

Sindicato mobiliza paralisação após o presidente do INSS autorizar o regime de plantão nas agências do país

atualizado 20/03/2020 17:51

Servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) preparam uma paralisação contra o governo federal, que implantou o regime de plantões em agências da autarquia em uma tentativa de combater os efeitos do novo coronavírus.

O movimento é coordenado pela Federação Nacional de sindicatos de Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps).

As atividades serão paralisadas a partir da próxima terça-feira (24/03). O sindicato teme o risco de criar uma cadeia de contaminação pelo Covid-19 com o regime de plantões.

Conforme publicado no Diário Oficial desta sexta-feira (20/03), as agências da Previdência Social manterão plantão reduzido, destinado exclusivamente a prestar esclarecimento aos segurados e beneficiários quanto à forma de acesso aos canais de atendimento remoto.

O diretor da Fenasps Moacir Lopes explicou que o governo implantou o sistema mesmo em cidades onde o poder público estadual determinou proibição de circulação de pessoas.

“Estas medidas demonstram mais uma vez que estes gestores estão vivendo em uma bolha, longe da realidade concreta do país e do mundo”, comentou o sindicato, em nota.

Nessa quinta-feira (19/03), o Ministério da Economia anunciou que vai antecipar o pagamento de R$ 200 de Benefício de Prestação Continuada (BPC) a pessoas com deficiência que estão na fila.

Segundo análise da Fenasps no banco de dados do INSS, mais de 470 mil pessoas aguardavam há mais de um ano para ter o reconhecimento do direito de receber esse BPC.

O sindicato informou ainda que os servidores do INSS têm consciência do da gravidade do atual momento, mas não podem mais aceitar esse “ataque do governo”.

“Além de colocar em risco os próprios trabalhadores(as) da Previdência, o governo está expondo milhões de pessoas, que em sua grande maioria já possuem idade acima de 60 anos, e estarão sob intenso risco de se criar uma cadeia de contaminação desta pandemia que vem vitimando pessoas em todos os continentes”, finalizou.

Últimas notícias