INSS: benefícios terão alta de 4,48%. Teto é de R$ 6.101 em 2020

Resultado do INPC, que define aumento na aposentadoria, foi de 1,22% em dezembro

Daniel Ferreira/MetrópolesDaniel Ferreira/Metrópoles

atualizado 10/01/2020 10:46

Segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que recebem mais do que um salário mínimo terão aumento de 4,48% nos valores do benefício. O teto da aposentadoria, por exemplo, sobe de R$ 5.839,45 para R$ 6.101 este ano.

A variação leva em conta o resultado da inflação de famílias com renda menor que cinco salários mínimos.

O resultado foi divulgado nesta sexta-feira (10/01/2020) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa, conhecida como Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), registrou alta de 1,22% em dezembro e fechou o ano de 2019 em 4,48%.

O reajuste só será oficializado, contudo, em portaria publicada pela Secretaria da Previdência, do Ministério da Economia. Em 2018, o reajuste dos benefícios foi de 3,43%.

De acordo com o INSS, os valores reajustados serão pagos aos segurados entre 27 deste mês e 7 de fevereiro.

As datas de pagamento variam conforme o valor a ser recebido e o número final do benefício (veja abaixo). Por exemplo, se o número é 321.654-0, é preciso desconsiderar o zero (dígito) e o número final será 4.

Essa alteração, no entanto, vale apenas para benefícios maiores do que o salário mínimo.

O piso nacional, de R$ 1.039, foi divulgado no início de 2020 em medida provisória (MP) assinada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O piso dos benefícios pagos pelo INSS tem o mesmo valor do salário mínimo. Assim, o segurado, que recebia R$ 998 no ano passado, passa a receber R$ 1.039 neste ano.

Dificuldades
Nesta semana, foi revelado que o INSS tem uma fila de espera de 1,2 milhão de pedidos de pagamento de benefícios. Por isso, o governo federal prepara uma força-tarefa para agilizar os atendimentos.

A intenção do governo é fazer funcionar o novo sistema do órgão, com a incorporação das mudanças aprovadas na reforma da Previdência. Entre as alternativas avaliadas, está o remanejamento de servidores que cuidam de aposentadorias em outros ministérios para ajudar no trabalho.

Em último caso, o governo cogita a contratação de terceirizados para atuar no atendimento ao público nas agências do INSS. Com isso, funcionários do órgão ficariam liberados para trabalhar nas análises dos benefícios.

Veja as datas para os pagamentos:

Benefícios de até um salário mínimo

  • Final 1: 27 de janeiro
  • Final 2: 28 de janeiro
  • Final 3: 29 de janeiro
  • Final 4: 30 de janeiro
  • Final 5: 31 de janeiro
  • Final 6: 3 de fevereiro
  • Final 7: 4 de fevereiro
  • Final 8: 5 de fevereiro
  • Final 9: 6 de fevereiro
  • Final 0: 7 de fevereiro

Benefícios acima de um salário mínimo

  • Finais 1 e 6: 3 de fevereiro
  • Finais 2 e 7: 4 de fevereiro
  • Finais 3 e 8: 5 de fevereiro
  • Finais 4 e 9: 6 de fevereiro
  • Finais 5 e 0: 7 de fevereiro

Últimas notícias