Guedes anuncia antecipação do 13º “dos mais frágeis e dos mais idosos”

A mesma medida foi adotada em 2020, como forma de ajudar a população afetada pela pandemia da Covid-19

atualizado 05/03/2021 21:05

Agência Brasil/Arquivo

O ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou, nesta sexta-feira (5/3), que aposentados e pensionistas do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) terão o 13º salário antecipado. Ele, no entanto, condicionou a medida à aprovação do Orçamento pelo Congresso Nacional.

“O abono salarial já foi antecipado. Agora, assim que aprovar o orçamento, vão ser antecipado o 13º [salário] justamente dos mais frágeis, dos mais idosos, como fizemos da outra vez”, disse o ministro, após reunião com o relator da PEC Emergencial, Daniel Freitas (PSL-SC), no Ministério da Fazenda.

No ano passado, os beneficiários do INSS tiveram o décimo terceiro antecipado para abril como medida de ajuda à população mais afetada pela pandemia de Covid-19.

O BEM [Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda], que é o programa de preservação de empregos, já estão sendo disparado também novas bases. Então, tem mais coisa vindo por aí”, prometeu o titular da Economia.

Após a reunião com Freitas, Guedes ainda afirmou que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 186/19, a PEC Emergencial, é a mais importante porque tem compromisso com a saúde e com a responsabilidade fiscal do país.

“Nós encaminhamos o nosso projeto. Essa é a PEC mais importante porque ela tem o compromisso com a saúde e, ao mesmo tempo, compromisso com a responsabilidade fiscal. Um protocolo para a retomada do crescimento”, disse o ministro.

Últimas notícias