Equipe econômica: União perderá R$ 20 bi com reforma do Imposto de Renda

De acordo com o secretário do Tesouro, montante representa perda de 0,2 ponto percentual do Produto Interno Bruto (PIB)

atualizado 03/09/2021 17:59

Servidor público caminha ao lado do Ministério da Economia, na Esplanada dos MinistériosThiago S. Araújo/Especial para o Metrópoles

O secretário especial de Tesouro e Orçamento do Ministério da Economia, Bruno Funchal, afirmou, nesta sexta-feira (3/9), que a reforma do Imposto de Renda (IR) reduzirá a arrecadação dos cofres públicos em R$ 20 bilhões por ano.

De acordo com Funchal, o montante representa uma perda de 0,2 ponto percentual do Produto Interno Bruto (PIB). O resultado da carga tributária bruta da União, dos estados e dos municípios é de 31,64% do PIB, segundo informações do Tesouro.

“Os cálculos ficam em torno de R$ 20 bilhões de perda. Teria uma redução de carga tributária olhando para todo mundo, pessoa física e jurídica”, postulou o secretário, durante evento nesta manhã.

Bruno Funchal é indicado como novo secretário do Tesouro Nacional
Bruno Funchal, secretário especial de Fazenda

Por 398 votos a 77, a Câmara dos Deputados aprovou, na quarta-feira (1º/9), o texto-base do PL nº 2.337/2021, proposta que prevê mudanças no Imposto de Renda. Dentre as alterações, consta a cobrança do tributo sobre lucros e dividendos distribuídos pelas empresas a acionistas, a diminuição do Imposto de Renda das empresas e o cancelamento de alguns benefícios fiscais.

Conforme o substitutivo aprovado, a faixa de isenção do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) passa de R$ 1.903,98 para R$ 2.500 mensais, com correção de 31,3%. Já o imposto cobrado sobre a renda das empresas cairá de 34% para 26%.

“A melhor forma de passar o controle das despesas para os cidadãos é reduzindo a carga. Agora, tem um limite (para) essa perda. Agora não tem tanto espaço assim para fazer essa redução de carga”, disse o secretário do Ministério da Economia.

 

 

 

Últimas notícias