Embraer vai parar fábricas e dar férias coletivas a funcionários

Medida afeta cerca de 15 mil trabalhadores em todo o país. Companhia se prepara para fusão com a Boeing

DivulgaçãoDivulgação

atualizado 11/10/2019 8:16

Todos os funcionários da Embraer no Brasil terão férias coletivas em janeiro de 2020, segundo um dos sindicatos que representa a categoria. Cerca de 15 mil trabalhadores serão liberados por conta da preparação da companhia para transferir o controle da divisão de aviação comercial para a norte-americana Boeing.

De acordo com o sindicato de Metalúrgicos de São José dos Campos (SP), onde está a principal fábrica da companhia, as férias ocorrerão entre 6 e 20 de janeiro, quando ficarão paradas todas as atividades da empresa em São Paulo e Belo Horizonte (MG).

A decisão, segundo o sindicato, causou apreensão entre os funcionários. Segundo os representantes da categoria, os funcionários havia reivindicado, em assembleia, a concessão de licenças remuneradas, ao invés de férias coletivas. “Se fosse preciso, até parar a produção por conta da mudança do controle operacional”, informou o diretor do Sindicato Herbert Claros.

A Embraer estima que a conclusão da fusão com a Boeing ocorra no início do próximo ano. A aprovação da parceria pelos acionistas da Embraer, segundo a empresa, ocorreu em fevereiro deste ano. A empresa ainda não se pronunciou sobre as férias coletivas de funcionários.

Greve no interior de SP
Em setembro, os trabalhadores em São José dos Campos, interior paulista, fizeram greve para reivindicar aumento real de salário e manutenção de todos os direitos previstos na convenção coletiva de trabalho. Os salários dos trabalhadores da Embraer estão há quatro anos sem aumento real, de acordo com a categoria. A reivindicação era de 6,37% de reajuste.

Últimas notícias