Efeito coronavírus faz bolsa cair 14,7% e dólar fechar a R$ 4,78

Ações e a moeda norte-americana sentem os efeitos das inseguranças em relação ao avanço do Covid-19 pelo mundo

atualizado 12/03/2020 17:46

É o efeito coronavírus impactando no mercado financeiro internacional e no Brasil: após a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificar o Covid-19 como pandemia e os Estados Unidos suspenderem a entrada de viajantes da Europa no país, o dólar abriu em forte alta na manhã desta quinta-feira (12/03) e ultrapassou, pela primeira vez, os R$ 5. Já a Bolsa fechou em queda de 14,76%, aos 72.598,16 pontos. É o maior tombo desde 1998.

Ao longo do dia, o dólar recuou em relação à máxima e chegou ao valor mínimo do dia, a R$ 4,7521. Mas ainda assim, terminou em alta de 1,41%, cotado a R$ 4,7891 – o maior recorde histórico de fechamento.

O cenário passou a ficar um pouco menos caótico após o Banco Central americano, Federal Reserve (Fed, na sigla em inglês), anunciar um programa de injeção de liquidez no mercado norte-americano, de US$ 1,5 trilhão, por meio de operações de recompra de títulos.

O índice DXY, que mede o dólar ante divisas fortes, desacelerou o ritmo de alta. Às 14h10, o dólar à vista tinha alta de 1,30%, a R$ 4,7835. No mercado futuro, o contrato para abril tinha queda de 0,72%, a R$ 4,7865.

Conforme as expectativas do mercado ouvidos pelo Metrópoles, a bolsa brasileira abriu em forte queda na manhã desta quinta e anunciou um novo circuit breaker, o terceiro da semana. As transações foram suspensas às 10h20, quando o índice já caía 11,65%. A interrupção foi de meia hora.

As ações começaram o dia em 85 mil pontos e, em menos de 20 minutos, chegaram a 75,2 mil pontos.

O segundo circuit breaker foi acionado às 11h13 desta quinta ao cair 15,43%, paralisando o pregão por uma hora.

Estímulo

Com  anúncio do Fed de injetar US$ 1 trilhão em liquidez ao mercado, como estímulo ao mercado, a bolsa brasileira começou a amenizar as perdas severas que vinha experimentando, impedindo o acionamento do terceiro circuit breaker do dia, que seria automático se as perdas alcançassem 20%).

As bolsas norte-americanas também entraram em circuit breaker instantes após a abertura. Por lá, as bolsas foram travadas em queda na faixa de 7,00%. (Com informações do Estadão)

Mais lidas
Últimas notícias