Dólar abre a 5ª feira acima de R$ 5; bolsa interrompe pregão

Investidores seguem mostrando pânico com efeitos do coronavírus na economia. Terceiro circuit breaker da semana foi acionado

atualizado 16/03/2020 12:08

Após a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificar o novo coronavírus como pandemia e os Estados Unidos suspenderem os voos entre o país e a Europa, o dólar abriu em forte alta na manhã desta quinta-feira (12/03). A moeda norte-americana ultrapassou, pela primeira vez, os R$ 5.

O dólar bateu R$ 5,0280, conforme registro feito às 9h06 desta manhã.

O Banco Central (BC) aumentou o montante previsto nessa quarta-feira (11/03) e anunciou o leilão de US$ 2,5 bilhões para esta quinta-feira, na tentativa de contar a alta da moeda norte-americana.

Após o movimento do BC, a moeda americana desacelerou e chegou a R$ 4,9161 às 10h desta quinta.

Bolsa de Valores
Conforme as expectativas do mercado ouvidos pelo Metrópoles, a bolsa brasileira abriu em forte queda na manhã desta quinta-feira e anunciou um novo circuit breaker, o terceiro da semana. As transações foram suspensas às 10h20, quando o índice já caía 11,65%. A interrupção é de meia hora.

As ações começaram o dia em 85 mil pontos e, em menos de 20 minutos, chegaram a 75,2 mil pontos.

Nessa quarta, a bolsa precisou acionar o segundo circuit breaker da semana — quando os trabalhos são interrompidos para se alcançar um equilíbrio na compra e venda — e fechou o dia com queda próxima aos 8%. Na segunda-feira (09/03), a baixa passou de 12%.

As Bolsas da Ásia fecharam em queda generalizada. O Shangai composto, da China, fechou em (-1,52%), e o menos abrangente Shenzhen Composto em -2,20%. Segundo comunicado de reunião do Conselho Estatal, a China vai reduzir os compulsórios bancários mais uma vez, a exemplo do que fez em janeiro, para impulsionar o crédito a pequenas e médias empresas afetadas pelo coronavírus.

Na Europa, o cenário não é nada diferente. Pelos mesmos motivos, os mercados do velho continente têm pesadas perdas nos primeiros momentos do pregão desta quinta. Nas próximas horas, investidores esperam que o Banco Central Europeu (BCE) tome uma série de medidas de estímulos, em reação ao coronavírus. (Com Agência Estado)

Últimas notícias