Bolsa fecha acima dos 100 mil pontos pela primeira vez

Recorde foi atingido em meio a otimismo com a reforma da Previdência, depoimento de Sergio Moro e decisão do banco central norte-americano

Michael Melo/MetrópolesMichael Melo/Metrópoles

atualizado 20/06/2019 10:19

Pela primeira vez na história, a Bolsa brasileira encerrou a sessão desta quarta-feira (19/06/2019) acima dos 100 mil pontos. Há pouco menos de três meses, em 18 de março, o índice havia sido atingido, mas o resultado final do dia havia ficado um pouco abaixo.

A alta foi de 0,90%, levando o índice a 100.303 pontos. O volume financeiro também foi positivo, especialmente para uma véspera de feriado: cerca de R$ 15 bilhões.

O recorde desta quarta-feira (19/06/2019) veio embalado pela ata do FED, o banco central dos Estados Unidos, sinalizando eventual queda dos juros para a próxima reunião. O banco manteve a taxa básica entre 2,25% e 2,50 ao ano.

Analistas creem que a indicação vinda dos EUA fortalece a hipótese de uma queda na taxa Selic brasileira, em decisão a ser anunciada ainda nesta quarta, a partir das 18h, pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central.

Previdência e Moro

A semana foi considerada especialmente positiva para o governo de Jair Bolsonaro, com o avanço na tramitação da PEC da reforma da Previdência na comissão especial na Câmara dos Deputados.

Até mesmo o imbróglio envolvendo vazamento de conversas atribuídas ao ex-juiz da Lava Jato e hoje ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e a procuradores da força-tarefa da operação foi considerado um elemento favorável, dado o depoimento relativamente tranquilo de Moro na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, durante todo o dia de ontem.

Últimas notícias