“Ainda não foi batido o martelo”, diz Bolsonaro sobre saque do FGTS

A estimativa é de que sejam liberados até R$ 42 bilhões das contas ativas do benefício, além de R$ 21 bilhões do PIS/Pasep.

Marcos Corrêa/PRMarcos Corrêa/PR

atualizado 18/07/2019 11:16

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse nesta quinta-feira (18/07/2019) que ainda não bateu o martelo sobre as regras para o saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Segundo o chefe do Executivo, alguns ajustes ainda precisam ser feitos. “Eu não posso me antecipar à equipe econômica”, comentou com jornalistas ao deixar o Palácio da Alvorada.

De acordo com o presidente, algumas reuniões serão realizadas para definir como o saque poderá ser feito. Em solenidade para comemorar os 200 dias de governo, prevista para a tarde desta quinta-feira, no Palácio do Planalto, há a expectativa de que Bolsonaro anuncie a medida para dar uma “pequena injeção na economia”.

A estimativa é de que sejam liberados até R$ 42 bilhões das contas ativas do FGTS, além de R$ 21 bilhões do PIS/Pasep. “Está previsto para esta semana. É uma pequena injeção na economia e é bem-vindo porque a economia, segundo especialistas, dá sinal de recuperação pelos sinais positivos, em especial porque está vindo do Parlamento”, frisou Bolsonaro, em entrevista coletiva após o encontro da 54ª reunião de cúpula do Mercosul, na Argentina, nessa quarta-feira (17/07/2019).

O ministro da Economia, Paulo Guedes, havia adiantado que o desenho para a liberação do PIS/Pasep está pronto, mas o governo decidiu analisar também a autorização de saques do FGTS, o que atrasou o processo.

“Cada equipe está examinando isso, não batemos o martelo ainda”, pontuou. A ideia é que até 35% do valor depositado pelo empregador atual poderá ser retirado das contas ativas. As regras analisadas pelo Ministério da Economia permitem que quem tem até R$ 5 mil no fundo pode sacar 35% do saldo. Já trabalhadores com até R$ 10 mil, teriam autorização para sacar 30%.

O presidente afirmou ainda que o governo quer fazer uma reforma dos tributos federais e que deseja que a tabela de Imposto de Renda esteja, no máximo, em 25%. “E nós queremos ano a ano diminuir a nossa carga tributária”, apontou.

Como saber meu saldo?
Para saber se você terá direito a retirar o crédito, é possível consultar o saldo no site da Caixa Federal ou do próprio benefício. Com o aplicativo para smartphone, é possível acompanhar também os depósitos realizados e informações sobre a retirada.

No rol de opções, está o cadastramento no site para receber mensagens via celular ou por e-mail. O aplicativo pode ser baixado gratuitamente por celulares do sistema Android, IOS e Windows.

Aos que preferirem realizar a operação pessoalmente, as agências da Caixa e os postos de atendimento estarão disponíveis para consulta de extratos. É preciso ter em mãos o Cartão Cidadão.

Últimas notícias