Dr. Jairinho leva tapa ao deixar delegacia sob gritos de “assassino”

O vereador e a companheira, Monique Medeiros, ficaram mais de 5h30 na delegacia e foram ouvidos, novamente, por investigadores

atualizado 08/04/2021 19:29

Jairinho, indo fazer exame de corpo delito no IML do RioAline Massuca/Metrópoles

Ao deixarem a delegacia, na tarde desta quinta-feira (8/4), o vereador Dr. Jairinho e a companheira, Monique Medeiros, foram recebidos por manifestantes que estavam na frente da 16º DP (Barra da Tijuca), na zona oeste do Rio, sob gritos de “assassinos”.

A escolta que acompanhava o parlamentar, que é suspeito de matar o enteado, Henry Borel Medeiros, de 4 anos, não foi suficiente para barrar a revolta e Dr. Jairinho acabou levando um tapa de um homem que furou o bloqueio policial.

Veja:

O vídeo foi divulgado pelo jornal O Globo.

Da delegacia, os dois seguiram para o Instituto Médico Legal (IML), no centro do Rio de Janeiro. O casal ficou mais de 5h30 na delegacia e foi ouvido, novamente, por investigadores, que queriam saber o que aconteceu no dia da morte do garoto.

Prisão

Na manhã desta quinta, o vereador carioca Dr. Jairinho (Solidariedade) e a mãe de Henry Borel, Monique Medeiros, foram presos pela Polícia Civil do Rio de Janeiro. Para os investigadores da 16ª DP, a criança foi assassinada.

Segundo as diligências conduzidas pela Polícia Civil do Rio, Jairinho, que era padrasto do garoto, batia em Henry. Dava chutes, rasteiras e pancadas na cabeça da criança. A mãe tinha conhecimento das agressões desde, pelo menos, fevereiro, ainda segundo os investigadores.

Os mandados de prisão temporária, de 30 dias, foram expedidos nessa quarta-feira (7/4), pelo 2º Tribunal do Júri da Capital. O casal é suspeito de atrapalhar as investigações, ameaçar e combinar versões de testemunhas.

0

Últimas notícias