Doria critica Bolsonaro: “Não é o que se espera de um presidente”

Os chefes dos Executivos nacional e local têm se desentendido na forma como lidam com o combate à epidemia de coronavírus

atualizado 23/03/2020 14:28

HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO CONTEÚDO

O governador de São Paulo, João Doria, voltou a criticar a postura do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em relação a epidemia de coronavírus no Brasil. Em coletiva de imprensa, realizada nesta segunda-feira (23/03), ele afirmou que o país está passando pelo momento mais difícil da história.

“Esse não é o procedimento que se espera de um presidente da República, de um mandatário que tem a obrigação de liderar a defesa dos brasileiros e cuidar da saúde da população. Não é com brigas e afastamentos que vamos construir unidade, principalmente em um momento difícil como este”, destacou Doria.

Anteriormente, o governador havia comentado sobre o fato de o presidente ter classificado a doença como apenas “uma gripezinha”. “É triste que não tenhamos liderança para acalmar os brasileiros, orientar ministros e secretários para tomar as decisões corretas”, comentou.

Doria destacou que, na ausência dessa liderança, governadores e prefeitos estão empenhados em fazer o que Bolsonaro não consegue.

Em contrapartida, o chefe do Executivo brasileiro afirmou que as medidas implantadas por Doria, Witzel e Ibaneis criam um “clima de terror”.

“Eles [governadores] estão aplicando uma dose de remédio excessiva e isso pode virar veneno”, reclamou Bolsonaro. Ele havia se irritado com os decretos e medidas extremas tomadas por eles.

Últimas notícias