Promotor quer interditar escola sem água e luz, mas com morcegos

Instituição que fica no interior do Pará funciona em condições precárias, sem água encanada nem energia elétrica

Divulgação/MPPADivulgação/MPPA

atualizado 05/12/2019 18:42

As péssimas condições de conservação de uma escola pública no interior do Pará levaram o Ministério Público local a pedir a interdição do prédio na Justiça. Localizada na zona rural de Floresta do Araguaia, sudeste do estado amazônico, a Escola Municipal de Ensino Fundamental São Francisco não tem fornecimento de água encanada nem de luz elétrica, não tem portas e janelas e está com uma das duas salas de aula infestadas por um ninho de morcegos.

Em vistoria no local, o promotor Alfredo Amorim, da Promotoria de Justiça de Conceição do Araguaia também observou que o prédio não tem rampas de acessibilidade, extintores de incêndio ou área de recreação para as crianças que estudam no local. Móveis básicos como a mesa do professor também inexistem e o quadro está escorado em carteiras velhas.

Os banheiros do local também estão em condições péssimas de conservação. Veja fotos:

 

“A grave situação de insalubridade da Escola Municipal de Ensino Fundamental São Francisco, além de já trazer prejuízos à aprendizagem dos alunos, pode ocasionar ainda danos irreparáveis à saúde de todos que lá frequentam, dado o convívio diário num ambiente tomado por morcegos e devido à provável exposição e contato com urina e fezes destes voadores, sabidamente transmissores de doenças como raiva, histoplasmose, leptospirose, síndrome respiratória aguda grave (SRS) entre outras”, escreveu o promotor na Ação Civil Pública que ainda espera um posicionamento da Justiça local.

O MP pede, além da interdição do prédio para reforma, que os alunos sejam remanejados para outra instituição de ensino, com seu transporte e alimentação garantidos.

 

Últimas notícias