*
 

A defesa do ex-governador Sérgio Cabral pediu nessa quinta-feira (12/4) que ele seja transferido do complexo penitenciário de Gericinó (Bangu) para a Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica. O político foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, com base em processos da Operação Lava Jato, pela 13ª Vara Federal de Curitiba e pela 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro.

O ex-governador está preso desde novembro de 2016. Depois de ficar um tempo em Bangu, ele foi transferido para Benfica, em maio de 2017. No início deste ano, depois de denúncias de que tinha regalias na cadeia pública, o Ministério Público pediu sua transferência para o Complexo Médico-Penal de São José dos Pinhais, no Paraná.

Na última quarta-feira, Cabral voltou para o Rio de Janeiro, por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), e está, desde então, em Bangu 8. Segundo seus advogados, esperava-se que Cabral fosse transferido de Curitiba direto para Benfica, onde estão os outros presos pela Operação Lava Jato.

Segundo os advogados, Cabral está sendo tratado de maneira discriminatória em relação aos outros presos da Lava Jato. Além disso, acreditam que, em Bangu, o ex-governador terá “a sua integridade física exposta à retaliação de detentos milicianos e ex-policiais que ajudou a punir durante o seu mandato, como aconteceu na primeira vez em que esteve internado naquele xadrez”.

O risco à integridade física, segundo os advogados, foi o que fez a Secretaria de Administração Penitenciária transferir Cabral de Bangu para Benfica, em maio de 2017.