CTI de hospital em Porto Alegre chega a 116% de ocupação. Veja fotos

Enfermeiros, médicos e auxiliares se desdobram para atender pacientes de Covid-19 em meio à superlotação de leitos no RS

atualizado 02/03/2021 21:54

Profissionais de Saúde se desdobram para atender pacientes de Covid-19 em CTI lotada de Porto AlegreDivulgação/Sílvio Ávila

A situação é caótica no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Em imagens, é possível ver médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas e outros profissionais da saúde – que foram transferidos de outras áreas e especialidades – se desdobrando para atender pacientes graves de Covid-19, em meio à superlotação de leitos.

De acordo com a assessoria do hospital, a capacidade na CTI é de 105 vagas, mas há 122 doentes críticos em atendimento, acomodados em leitos extras instalados no próprio espaço e também na emergência. Isso representa uma ocupação de 116%.

Enquanto isso, nos 76 leitos de enfermaria, destinados aos pacientes menos graves, há 37 em suporte ventilatório que deveriam estar em uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

Veja fotos da situação:

0
Contêineres 

O Hospital Moinho de Ventos, o maior da rede privada de Porto Alegre, precisou contratar contêineres refrigerados para acomodar corpos de pacientes mortos, vítimas do novo coronavírus.

Na segunda-feira (1º/3), foi registrado percentual de 114% de ocupação do centro hospitalar, índice muito superior à suportada pela unidade.

Últimas notícias