Criança e dois adultos são baleados em carro por policiais no Ceará

Garoto de 10 anos foi hospitalizado e um homem perdeu a visão de um dos olhos. PM diz ter afastado e recolhido as armas dos policiais

atualizado 11/07/2021 11:54

Violência policial no CE

Agentes da Polícia Militar da cidade de Hidrolândia, no interior do Ceará, balearam uma criança de 10 anos e dois adultos na noite desta sexta-feira (9/7). Os tiros dos policiais foram disparados contra as vítimas quando estavam em um carro.

Um dos disparos acertou o pescoço do menino, que foi levado a uma unidade hospitalar ainda com a bala alojada. Dois homens que estavam no veículo também foram atingidos. Um deles perdeu a visão de um dos olhos e o outro, um jovem de 22 anos, foi atingido na região da coluna e da coxa, segundo informações de familiares. Os três sobreviveram, de acordo com reportagem do Diário do Nordeste.

A perseguição policial, que findou em lesões graves contra os civis, está sendo apurada pela PM, segundo informou a corporação. De acordo com a PM, tudo começou porque o destacamento policial foi acionado para atender uma ocorrência de disparos de armas de fogo, efetuados por um grupo que estava em um carro escuro. O veículo das vítimas tinham as mesmas características descritas na denúncia e foi localizado trafegando com os faróis desligados no Bairro Nova Hidrolândia.

Segundo a polícia, foi dada ordem de parada e o condutor não obedeceu, o que levou à perseguição que resultou nos disparos contra o carro. Além da criança e dos dois homens feridos, o veículo também era ocupado por duas mulheres, uma delas gestante de gêmeos, irmã do garoto. Elas não foram atingidas.

Uma parente das vítimas, que teve a identidade preservada, informou que os adultos haviam saído no carro para buscar o garoto que brincava em um campo de futebol. Foi no retorno para casa que a perseguição da PM começou.

A criança estava com a bala alojada no pescoço até a noite deste sábado (10/7) e foi transferida para o hospital Instituto Doutor José Frota (IJF), no Centro de Fortaleza.

“Sem motivo”

Em vídeo gravado na unidade hospitalar, momentos depois do caso, a irmã do garoto confronta os dois policiais envolvidos. Enquanto ela denuncia que eles “estavam atirando sem motivo nenhum”, um dos agentes responde que houve troca de tiros. “Que atirando o que, senhor? Atirando sem arma? Chega atirando sem motivo nenhum, machucou a criança, machucou outro aqui”, rebateu a irmã da vítima.

O policial ainda insiste em sua defesa e acusa o grupo de não ter atendido à abordagem policial, mas a irmã reafirma que não houve abordagem e que os policiais “já chegaram atirando”. Novamente, o agente alega que a abordagem foi feita com a sirene ligada, ao que a irmã reforça que isso não aconteceu e não houve abordagem.

Os PMs envolvidos no caso foram ouvidos pelo comando do Batalhão ao qual são subordinados e tiveram as armas recolhidas para envio a Perícia Forense do Ceará (Pefoce). Os agentes foram afastados das funções até a conclusão do caso. A ocorrência foi registrada pela Polícia Civil

Nas redes sociais, o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), se pronunciou neste domingo (11/7). “Sobre esse lamentável episódio ocorrido em Hidrolândia, com três pessoas baleadas numa ação policial, inclusive uma criança, informo que, de imediato, determinei ao secretário da Segurança e ao comandante da PM rigor absoluto na investigação, bem como à secretária de Proteção Social apoio às vítimas. Foi instaurado inquérito e os policiais afastados imediatamente das ruas. Lamento profundamente o ocorrido”, publicou.

Últimas notícias